Carlos Jorge dos Anjos demite-se do cargo de director-geral do Turismo e Transportes

0
40

O director-geral do Turismo e Transportes demitiu-se do cargo, cerca de oito meses depois da sua nomeação, alegando razões de foro pessoal.

Carlos Jorge dos Anjos

Em comunicado, o Ministério da Economia e Emprego informa que o ministro José da Silva Gonçalves aceitou, domingo, o pedido de demissão de Carlos Jorge dos Anjos, que alegou “razões de foro pessoal” para a tomada de decisão.

Para preencher o vazio deixado com esta decisão repentina, lê-se na nota enviada à Inforpress, o ministro da Economia e Emprego encetou de “imediato” contactos no país, a fim de encontrar um “substituto à altura” para ocupar o cargo de “elevada importância” para Cabo Verde.

Refira-se que, Cabo Verde estima receber 3,15 milhões de turistas até 2030, mas para isso promete remover “alguns obstáculos”, ligados sobretudo aos preços dos transportes, infra-estruturas, segurança e diversificação das ofertas e dos mercados.

Trata-se de uma meta constante nas Grandes Opções do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Turismo no horizonte 2030, um documento elaborado pelo Governo após serem recolhidos subsídios em várias mesas redondas realizadas em quase todas as ilhas do país.

O plano estratégico, apresentado pelo então director-geral do Turismo, Carlos Jorge Anjos, no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Turismo, que se celebra 28 de Setembro, traça vários cenários para o sector nos próximos anos, mas o Governo pretende focar as medidas no cenário optimista moderado, considerado o “mais provável”.

O país prevê receber 3,15 milhões de turistas até 2030, gerar mais de 30 mil empregos e receitas com a taxa turística a chegar aos 4,4 mil milhões de escudos (40 milhões de euros). Do total de turistas estimados para entrar até 2030, o plano estratégico prevê que o Sal e a Boa Vista recebem dois milhões de turistas e as outras ilhas 1,15 milhões.

Fonte: Inforpress

Comentários