Em Agosto deste ano os preços dos produtos importados aumentaram 4,7%

0
345
Segundo o resultado do Índice de Preços do Comércio Externo apurados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em Agosto deste ano, o índice de preço de importação subiu. Os preços dos produtos importados registaram um aumento de 4,7 por cento (% ), valor superior em 21,4 pontos percentuais (p.p.) face ao registado no mês anterior conforme revelou hoje os dados do INE. O índice de preço de importação situou-se em 80,5, tendo conhecido um acréscimo de 4,7% relativamente ao mês anterior. A taxa de variação mensal dos preços dos produtos exportados fixou-se em 0,7% aumentando assim, 13,6 p.p. face ao valor registado no mês anterior. A taxa de variação mensal registada pelo Índice de Termos de Troca foi de -3,8%, valor inferior em 8,4 p.p. face ao registado no mês anterior. O índice subjacente na importação, de acordo com o INE, verificou no mesmo período um acréscimo de 7,8% face ao mês anterior. Por outro lado, o índice volátil na importação diminuiu 2,2% face ao mês de Julho de 2016. Para a mesma fonte, por destino económico dos bens, as categorias que contribuíram para a subida de preços foram “Bens Intermédios” (10,7%), justificando com o aumento dos preços de “outros produtos primários” (39,6%), “outros produtos transformados” (27,5%) e “combustíveis” (16,1%), sendo este último devido ao aumento da única subcategoria denominada “combustíveis1”, em (16,1%). A subida de preços na importação foi atenuada nas categorias “Bens de Consumo” (-4,7%): a descida dos preços justifica-se com a diminuição dos preços de “produtos alimentares primários” (-9,0%) e “produtos alimentares transformados” (-6,5%). “Bens de capital” (-9,8%): deveu-se à descida de preços de “máquinas” (-24,4%). Nas importações por principais secções do Sistema Harmonizado (SH), registaram-se aumentos mais expressivos de preços nas secções como produtos minerais (14,6%), produtos das indústrias químicas ou das indústrias conexas (17,5%), e metais comuns e suas obras (24,0%). Os produtos do reino vegetal (-8,2%), máquinas e aparelhos, material elétrico, e suas partes, aparelhos (-8,3%) e produtos das indústrias alimentares, bem como bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres, tabaco e seus sucedâneos manufaturados (-5,4%) constituíram as diminuições de preços de maior relevância. Essas diminuições contribuíram para atenuar a evolução positiva do Índice Global da importação. Fonte: Inforpress
Comentários