EUA: Adiado julgamento de jogador acusado de assassinar dois cabo-verdianos

0
631

Devido a uma tempestade de neve, em Boston, o julgamento do ex-jogador de futebol americano Aaron Hernandez, que estava prevista para esta segunda-feira, foi adiado. Hernandez é acusado de ter assassinado os cabo-verdianos Danny Abreu e Safiro Furtado.

Segundo o porta-voz do procurador do condado de Suffolk, os mais de 30 centímetros de neve esperados na tarde de segunda-feira devem adiar a selecção de júri para quinta-feira. A acusação está preparada para apresentar o seu caso no dia 01 de Março.

O responsável pela acusação, o procurador Daniel Conley, tem mais de oitenta provas, que incluem testemunhas oculares, gravações de vigilância, o carro usado e até a arma do crime.

As famílias de Abreu e Furtado estarão presentes quando o julgamento da morte dos seus familiares começar.

As famílias destes dois imigrantes cabo-verdianos estão a pedir seis milhões de dólares (cerca de 5,3 milhões de euros) de indemnização nos tribunais norte-americanos.

Em 2015, Kennedy pediu ao Tribunal Superior de Attleboro, em Massachusetts, que congelasse os bens de Hernandez, de 24 anos, incluindo uma mansão no valor de cinco milhões de dólares (4,4 milhões de euros), e diz que o jogador recebeu 11 milhões de dólares (9,7 milhões de euros) ao serviço dos New England Patriots.

Hernandez encontra-se detido, depois de ter sido condenado a prisão perpétua pelo homicídio de Odin Lloyd, que aconteceu um ano depois do crime que vitimou os cabo-verdianos.

Segundo a acusação, Hernandez assassinou Lloyd depois do atleta o ter questionado sobre o seu papel nos assassinatos dos cabo-verdianos.

No dia 16 de julho de 2012, Abreu, de 29 anos, e Furtado, 28, estariam na discoteca Cure Lounge, em Boston, quando Abreu entornou uma bebida sobre Hernandez e não pediu desculpa.

O jogador terá ficado enfurecido e disse a uma testemunha que tinha sido desrespeitado, que tinha esperado por eles no exterior da discoteca, dentro de um carro e às voltas na rua.

Quando o grupo de cinco cabo-verdianos entrou no seu carro, Hernandez ter-se-á aproximado e disparado cinco tiros, matando os dois jovens e ferido um terceiro.

Abreu e Furtado trabalhavam os dois em limpezas e viviam na mesma zona de Massachusetts, estado onde existe uma numerosa comunidade cabo-verdiana.

Fonte: Lusa

Comentários