Forças Armadas vai homenagear as 11 vítimas do Massacre de Monte Tchota

0
1289

As Forças Armadas de Cabo Verde vão homenagear as 11 vítimas do massacre de Monte Tchota, no concelho de São Domingos, com a colocação de uma placa no local com os seus nomes, por ocasião do primeiro aniversário do sucedido.

O anúncio foi feito em declarações à Inforpress pelo comandante da Guarda Nacional, o tenente coronel Armindo Sá Nogueira Miranda, que disse que a homenagem vai acontecer no dia 25 de Abril, numa cerimónia no destacamento militar de Monte Tchota, São Domingos, interior da ilha de Santiago, onde tudo aconteceu.

“Estamos a preparar, em conjunto com o Ministério da Defesa, uma homenagem à altura e condigna para os malogrados e já foram criadas as condições para que os familiares possam deslocar-se ao local para poderem tomar parte na cerimónia onde será descerrado uma placa com os nomes das vítimas”, explicou.

De há um ano para cá, o tenente coronel garantiu que as Forças Armadas, que identificaram todos os familiares dos militares, têm estado em contacto permanente com os mesmos, tanto por telefone como pessoalmente, mas em relação ao autor do massacre, o soldado Manuel António Silva Ribeiro, conhecido por Antany, a situação é diferente.

O comandante sublinhou que depois dele ter sido julgado a 27 de Outubro de 2016 e condenado a 35 anos de prisão, pena máxima no sistema judicial cabo-verdiano, foi transferido para a Cadeia de São Martinho, na Praia, por não ser mais um militar. Mas revelou que, sem envolver-se directamente, as FA têm acompanhado o caso, tendo em conta onde tudo aconteceu.

Para além dos 35 anos de prisão pelos crimes de homicídio, Antany que também foi dado como culpado por furto, roubo e uso indevido de armas, foi ainda condenado a uma pena acessória de expulsão das FA e ao pagamento de uma indemnização de 11 milhões de escudos às famílias das vítimas.

Fonte: Inforpress

Comentários