Governo disponibiliza mais de dois milhões de contos para melhoria de destinos turísticos da Boa Vista e Sal

0
82

O Governo vai disponibilizar às câmaras municipais da Boa Vista e do Sal mais dois milhões de contos para a melhoria dos destinos turísticos das duas ilhas, através de projectos de reabilitação, regeneração e requalificação urbana.

Os protocolos foram assinados ontem, na Cidade da Praia, entre o Governo, representado pelos ministros da Economia e Emprego, José Gonçalves, e das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, e os presidentes das câmaras municipais do Sal e da Boa Vista, Júlio Lopes e José Luís Santos, respectivamente, na presença do gestor do Fundo de Sustentabilidade Social para o Turismo, Manuel Ribeiro.

Para o edil do Sal, município que vai receber 1.175 milhões de contos, é “muito importante” para as duas ilhas mais turísticas de Cabo Verde receber esses montantes, porque este sector desenvolveu-se sempre à base dos privados e que só agora a componente pública está a assumir de forma concreta esse desafio.

“Este protocolo vai ter um impacto enorme na consolidação do destino turístico na ilha do Sal, através da requalificação urbana e da coesão social. Não podemos permitir desenvolver o turismo em Cabo Verde sem a componente da sustentabilidade social e o turismo com barracas e casas de lata não tem sustentabilidade e um dia há-de acabar”, frisou Júlio Lopes.

Por sua vez, José Luís Santos, presidente da câmara da Boa Vista, que vai receber o montante de 1.047 milhões de contos, os acordos firmados são “muito importantes” para a realização de projectos estruturantes para a ilha, que, apesar de ter “maior potencial” do desenvolvimento turístico nacional, “não tem sido preparada para tal”.

“Mas aqui e agora, podemos almejar uma Boa Vista com os problemas estruturantes resolvidos, nomeadamente o saneamento na sua vertente rede de esgoto onde todo o resíduo sólido é vazado ao céu aberto, a requalificação, o problema grave de habitações degradadas, entre outros”, apontou.

O ministro José Gonçalves explicou que a cerimónia de hoje é o “culminar de árduo trabalho e muita concertação” entre o Governo central e as câmaras, que são duas ilhas com destino turístico de “maior peso” na contribuição turística e onde serão utilizadas receitas geradas pela contribuição turística para a requalificação dois destinos.

Nesta mesma linha, a ministra Eunice Silva sublinhou que Boa Vista e Sal têm “grandes necessidades” e por isso vão receber intervenções de “grande escala” com projectos que o Fundo do Turismo permitir implementar, garantindo que ainda este ano será lançado um conjunto de projectos para as duas ilhas.

Estradas Rabil-Povoação Velha e intervenções para requalificação e reabilitação na zona de Boa Esperança “Barraca”, na ilha da Boa Vista, são alguns desses projectos exemplificados pela ministra.

O Governo lembrou que as novas opções adoptadas na gestão do Fundo do Turismo estão orientadas para permitir que as receitas da taxa turística cobradas num determinado município sejam aplicadas nesse mesmo município em projectos de reabilitação, regeneração e requalificação urbana, com impacto sobre a melhoria e a qualificação dos destinos turísticos.

A finalidade é, também, envidar esforços conjuntos no sentido de dinamizar as economias locais, promover a inclusão social e urbanística através da eliminação de barracas e de uma política de planeamento e disponibilização de terrenos infra-estruturados para a habitação condigna.

Fonte: Inforpress

Comentários