Governo está a trabalhar para encontrar alternativas para fazer face à avaria do único avião da TACV – Olavo Correia

0
236

O ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje que o Governo está a trabalhar para encontrar alternativas para a situação da Transportadora Aérea Cabo-verdiana (TACV), neste momento, com o único avião que opera nas linhas internacionais avariado.

Olavo Correia, que falava aos jornalistas na sequência da 18ª reunião do Conselho Coordenador do Millennium Challenge Account Cabo Verde – MCA-Cabo Verde II, admitiu a dificuldade em mobilizar aviões para cobrir essa avaria, mas adiantou que o Governo está “comprometido e engajado” a 100% para encontrar uma solução alternativa.

“Aconteceu, como é óbvio, um incidente, uma avaria grossa que não estava nos planos da empresa e do Governo, que aconteceu num período de época alta, em que as folgas em termos de aviões são mais reduzidas, mas estamos a trabalhar para rapidamente encontrar alternativas”, disse, pedindo a compreensão de todos aqueles que foram afectados por essa avaria.

Questionado se no quadro do acordo de gestão assinado com o grupo Icelandair, se não será possível o grupo disponibilizar aviões à TACV, Olavo Correia disse que o acordo tem um cronograma a ser seguido.

“Digamos que essa avaria não fazia parte da programação. A partir de finais de ano, teremos alterações substanciais, mas estamos a trabalhar afincadamente para encontrarmos uma alternativa para que os impactos nos passageiros sejam o menor possível”, disse.

“Estamos a 100 por cento envolvidos para criar as condições, tendo em conta as circunstâncias. É difícil mobilizar aviões para uma cobertura daquilo que foi essa avaria, mas estamos comprometidos e seguramente que encontraremos uma solução”, acrescentou.

A avaria do Boing 757-CBP, na semana passada, levou ao cancelamento de vários voos para Providence, Lisboa, Fortaleza e Recife. A TACV adiantara em comunicado que “todos os passageiros serão reencaminhados em voos de companhias terceiras, em função da disponibilidade de lugares”.

A companhia aérea pública cabo-verdiana está em processo de reestruturação, com vista à sua privatização, tendo o Governo assinado com o grupo islandês Icelandair um contrato de gestão da empresa pelo período de um ano.

A empresa assegura agora apenas as ligações internacionais, depois de o Governo ter negociado com a Binter Cabo Verde as ligações no mercado doméstico.

Fonte: Inforpress

Comentários