Homem morto no Brasil era refugiado da Líbia enviado a Cabo Verde

1493

O homem morto no Brasil na passada sexta-feira, vítima de espancamento era um refugiado da Líbia enviado a Cabo Verde.

Luxor Dion Monteiro, 30 anos, foi morto no Brasil na passada sexta-feira, vítima de espancamento, era refugiado da Líbia enviado a Cabo Verde em 2011, aquando da guerra conta o regime de Muammar al-Gaddafi.

Na altura com 24 anos, o refugiado veio para Cabo Verde à procura de parentes maternos, uma vez que a mãe, de nome Zulmira Monteiro, falecida em 2004, vítima de doença prolongada, era natural de Santo Antão.

Numa entrevista concedida para uma reportagem ao jornal A Nação na altura, Luxor Monteiro revelou que nasceu em Cabo Verde mas viajou com a progenitora para o Senegal aos 06 anos de idade, onde a mãe casou-se com um líbio e foram viver na cidade industrial de Musrata, na Líbia.

Na mesma entrevista, o refugiado cabo-verdiano contou que depois de três meses nos campos de refugiado foi enviado a Cabo Verde, país por ele totalmente desconhecido, na esperança de encontrar algum parente que lhe pudesse acolher.

De acordo ainda com a mesma reportagem, em Cabo Verde Luxor Monteiro foi acolhido durante três meses pelos serviços da Comissão Nacional dos Direitos Humanos e Cidadania que também lhe ajudou a conseguir um estágio na fábrica de gelo no Porto da Praia, uma vez que era formado em técnicas de refrigeração na Líbia.

Com uma renda fixa que dava para o seu sustento foi residir no bairro da Várzea Acima, na Cidade da Praia, onde morava em “condições pouco dignas” dividindo o quarto com mais três colegas da Costa de África.

Fez amizade com a ex-secretária da Comissão Nacional dos Direitos Humanos e Cidadania, Irondina Fortes, e começou a frequentar a Igreja do Nazareno em Achada Santo António, na Cidade da Praia, mas depois perdeu o contacto, conforme avançou à Inforpress, Alberto Fortes, filho da secretária, que tinha ficado amigo da vítima.

A última informação do refugiado da Líbia em Cabo Verde, de acordo com a sua página no Facebook, é que este estava no Brasil em Março 2017, na cidade de Manaus, Estado do Amazonas, data em que fez a última comunicação naquela rede social.

Na sexta-feira, 07 de Abril, a imprensa brasileira noticiou a morte do jovem de 30 anos, identificado como refugiado cabo-verdiano, vítima de espancamento por um adolescente de 17 anos, em Matias Barbosa, município do Estado brasileiro de Minas Gerais.

De acordo com o jornal Globo, o cabo-verdiano, que vivia em condições de sem-abrigo, ainda foi socorrido e levado para o hospital mas não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer naquela unidade hospitalar de Juiz de Fora, no mesmo município.

Luxor Dion Monteiro, segundo relata a imprensa estrangeira, tinha passaporte e permissão válida de residência até 2018.

A Polícia Civil pede que qualquer informação sobre parentes desse homem seja repassada ao IML, que fica na Rua Professora Carolina Coelho, no Bairro Granbery, em Juiz de Fora (Brasil).

 

 

Fonte: Inforpress