Relato da RCV deixou muito a desejar no jogo dos Tubarões Azuis – Opinião

6
754

Estava um dia perfeito para uma boa tarde de futebol, boa temperatura, um estádio que não esteve cheio, mas não deixou de estar animado num jogo entre duas selecções “irmãs”. Tinha tudo para ser perfeito, tinha do verbo “não teve”. Quem estragou a festa foram os comentários proferidos na Radio de Cabo Verde (RCV), comentários desnecessários e, por vezes, sem sentido.

Foto: Décio Barros

A Televisão de Cabo Verde (TCV) fez a transmissão do jogo para os nacionais e, para todos que estão no exterior do país, através do site. Por sua vez, a RCV fez o relato, que também podia ser ouvido na Internet. Cabia agora ao adepto escolher como queria acompanhar o jogo.

Eu, com a transmissão on-line da TCV lenta, resolvi ouvir o relato, também on-line, que venho a ouvir há anos. Ouvia o relato e via na TCV tendo eu duas ‘janelas’ abertas. Eis que minutos antes do início do jogo desisto de ouvir o relato pois era insuportável ouvir os comentários. Com a TCV lento não tenho outra opção, voltei para a RCV.

Este jogo teve como coordenador, que estava no estúdio, Gil Noro tendo na sua companhia o técnico de som Ilson Andrade. No estádio nacional estavam Luís Carlos Vasconcelos, Cardoso da Silva, António Pedro e Odair Lima.

Quem ouviu com atenção o relato obviamente ficou surpreso com certos comentários do Luís Carlos Vasconcelos, conhecido por Canfra.

Na primeira parte um comentário que indigna qualquer adepto do futebol cabo-verdiano: “Um treino do Lille (clube de Ryan Mendes) ou mesmo da equipa do Kuca na Turquia, vale mais do que dez (10) jogos do Mindelense”. Só para relembrar que o Mindelense é bi-campeão nacional e esta nas meias-finais do campeonato nacional vencendo, antes, os cinco jogos da fase de grupos.

Cabo Verde sofre um golo na segunda parte, com um passe de Calú atrasado onde o avançado Luís Leal aproveita e marca e o culpado, para Canfra, é Vozinha que pode-se ver nitidamente não teve culpa pelo erro do colega. Cabo Verde já ganhava por 5-1 quando Rui Aguas coloca um defesa e eis que surge tal comentário: “… Nunca gostei do Rui Águas, se fosse o Lúcio Antunes metia o Brito em vez de defender”. Tudo bem, quem nunca criticou as substituições de um treinador que atire a primeira pedra.

“Steven Fortes e Valy não tem classe que outros tem. Não tem classe para jogar na selecção de Cabo Verde”, foram comentários proferidos sobre os dois defesas.

O que mais indignou a mim e provavelmente aos são-tomenses que ouviam o relato foi a comparação a selecção de São Tome a clubes da segunda divisão do regional de Santiago Sul. Ainda não satisfeito com a prestação dos são-tomenses, mais tarde, compara mesmo a terceira divisão do mesmo regional sendo que a terceira divisão não existe.

São Tomé é uma selecção nova que esta a “criar”, mas daí a comparar com equipas ‘distritais’ cabo-verdianas seria um exagero. Qualquer selecção pode levar uma goleada do tipo, por exemplo o Brasil levou 7-1 da Alemanha em casa. Tinha tudo para ser um dia perfeito, mas não foi.

Há que separar opinião de adepto com o de comentarista. Há que se transmitir a informação como deve ser e nunca cair no exagero, como por exemplo dizer que o jogador estava em fora de jogo “estava dez quilómetros a frente”.

Quem ganha com bons comentários, como o dos colegas que estiveram no estádio, é o ouvinte e quem perde com certos comentários é a estação radiofónica.

 

Bruno da Moura

Comentários

infelizmente temos pessoas desse tipo. para alem de nao terem qualificaçao para desempenhar o cargo nao sao dignos de la estar. ouvimos, infelizmente, muitas asneiras na TCV quando um fulano comenta os jogos (nem sequer sabe ler/pronunciar o nome dos jogadores, ate os mais faceis) que nao sabe o que diz. se tivesse interesse em mudar alguma coisa, porque certamente ele ja deve ter conhecimento dos seus comentarios pelas criticas que sao feitas, investigava e ficava a saber alguma coisa. entretanto o jogo com Sao Tome e Principe, os nossos irmaos, foi o cumulo. agora quem é de direito deveria averiguar o caso ja que mancha, negativamente, a comunicaçao social do pais… haja paciencia

Foi desastroso, senti me envergonhado e deu para notar no arrastar da língua desse senhor que estava completamente alcoolizado. Mais não digo.

…e já agora que bebesse menos. A lucidez é obrigatória na função de comentador, jornalista ou apresentador.
Os seus superiores têm que estar atentos, porque quem perde não é só a estação, mas sim o país com este deplorável serviço público de rádio.

Me congratulo com tudo que foi dito nesta publicação. Foi por estas e outras coisas que deixei de ouvir relato na rcv e jogos na tcv como da Liga dos Campeoes ou Mundial. Prefiro o meu Sporttv ou mesmo os Canais Árabes ainda que nao perceba nada do que dizem. O Sr. Luis Carlos Vanconcelos já anda nisto ha muito e devia saber que uma coisa é estar na bancada e a outra é estar num estudio a comentar um jogo onde milhares de ouvintes o escutam. Pior ainda é estar a seguir um jogo na tcv ouvindo os comentários do Benvindo Neves ou Vitor Hugo Fortes (Vitocas).,, ai Jesus!!! Preferia ver somente as imagens e sem som que eu dava conta de tudo que se passava melhor que eles. Penso que a TCV necessita urgentemente de comentadores que entendam de futebol e nao meros curiosos. Hoje em dia existe uma rede chamada INTERNET onde encontramos tudo. Antes dos jogos vao a Net façam pesquisas e evitem falar asneiras.

o Sr Luis Carlos Vasconcelhos há muito que está metendo os pés pelas mãos. sempre foi bairrista, mas hoje ele demostrou que não tem noção nenhuma e não sabe ser um profissional da comunicação social. falou mal da equipa técnica,de jogadores, enfim de tudo e de todos.mas a culpa não é só dele, mas também da direcção da rádio,visto que ainda continua fazendo das suas.um relator desportivo que não sabe a posição que um jogador ocupa dentro do relvado?pelo amor de Deus!