Cabo Verde Broadcast coloca 30.000 descodificadores no mercado para garantir TDT

340

A empresa estatal Cabo Verde Broadcast (CVB), responsável pela implementação da rede de Televisão Digital Terrestre (TDT) cabo-verdiana, anunciou hoje que vai colocar no mercado 30.000 descodificadores, para garantir a transição da rede analógica até maio.

Em comunicado, a CVB explicou que no “âmbito do plano de desligamento” dos serviços de televisão analógica em todo o território nacional, procedeu à “aquisição de 30 mil descodificadores para serem vendidos a preço igualitário e mais acessível à população”.

A venda destes equipamentos – para permitir a receção de sinal digital em aparelhos de televisão analógicos – será feita através dos balcões dos Correios de Cabo Verde (CCV) dispersos pelos 22 municípios do país, previsto num protocolo a assinar pelas administrações das duas empresas na quinta-feira.

“A disponibilização de mais 30.000 descodificadores em Cabo Verde vem colmatar, ainda, a insuficiência do aparelho no mercado o que, consequentemente, poderia comprometer todo o processo de desligamento” da rede analógica, acrescentou a CVB.

O ministro da Cultura afirmou em novembro que a rede de TDT cobria já 95% da população, prometendo que o mercado nacional será reforçado com 40.000 descodificadores este ano, face à falta de equipamentos à venda.

Ao responder aos deputados, na Assembleia Nacional, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, afirmou que a rede de TDT, que este ano vai substituir por completo o sinal analógico, “já está nos 22 municípios” do arquipélago.

“Cobrindo cerca de 95% da população cabo-verdiana”, disse Abraão Vicente, embora admitindo “algumas dificuldades” na implementação da rede em Santo Antão, considerada a “ilha das montanhas” em Cabo Verde, também devido à orografia do terreno.

Contudo, o ministro admitiu, questionado pelos deputados, alguma insuficiência no mercado nacional de equipamentos para a receção do sinal de TDT em equipamentos analógicos.

“A Cabo Verde Broadcast, devido à falta de boxes no mercado, já adquiriu 40.000 boxes a um fornecedor internacional, que estarão disponíveis no mercado internacional a partir de janeiro de 2021, para ajudarmos a colmatar alguma falta de acesso no mercado”, avançou então o governante, que tutela o setor.

Segundo o cronograma aprovado em Conselho de Ministros, a Cidade Velha, município de Ribeira Grande (ilha de Santiago), foi a primeira localidade do arquipélago a desligar os emissores analógicos de televisão, em 17 de agosto de 2020.

Até novembro estava programado serem desligados os restantes emissores da ilha de Santiago e, no mesmo mês, ainda os das ilhas do Maio e do Fogo, e em São Vicente em 17 de novembro, segundo o “calendário de cessação das emissões televisivas terrestres” em Cabo Verde.

Os oito emissores analógicos de Santo Antão, a ilha mais montanhosa de Cabo Verde e os últimos a desligar, serão desativados em 25 de maio, um atraso de quatro meses face ao calendário divulgado em 2020.

A rede TDT de Cabo Verde tem oito canais de televisão e seis rádios à disposição, tendo sido acrescentando recentemente o canal TV Educativa, gerido pelo Ministério da Educação como plataforma de apoio ao ensino à distância, devido aos condicionalismos da pandemia de covid-19 no funcionamento das escolas e na manutenção das aulas presenciais.

Cabo Verde é um dos cinco países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) que estão mais avançados em termos de implementação da TDT, conforme determinou a União Internacional de Telecomunicações (UIT).

Por: Lusa