Cabo Verde desliga emissores analógicos de TV e passa a ter apenas TDT

82

O processo de transição para a Televisão Digital Terrestre (TDT) em Cabo Verde está concluído, com uma taxa de cobertura de 98%, iniciando-se o desligamento do sinal analógico no arquipélago, anunciou o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

O chefe do Governo visitou na terça-feira a Cabo Verde Broadcast (CVB), empresa pública que instalou e gere a rede de TDT no país, para assinalar o desligamento do sinal analógico em todo o território nacional, e disse depois que foi possível “democratizar o acesso” à televisão no país.

“A transição do analógico para o sinal digital concluiu-se hoje [terça-feira]. Quer dizer, temos todas as condições para que as pessoas tenham uma compreensão muito mais de perto daquilo que é a importância do digital, porque passam a ter acesso, e acesso com maior qualidade, abre perspetivas para empresas que querem entrar no mundo da televisão, produzir conteúdos, já não têm que fazer investimentos em infraestruturas, têm uma plataforma que presta esse serviço”, afirmou.

Ulisses Correia e Silva destacou que, com o funcionamento em pleno da rede de TDT, abrem-se novas perspetivas, desde logo para o incremento da produção de conteúdos: “Para as empresas que queiram entrar na área de produção de conteúdos e de televisão. Não precisam construir infraestruturas, têm agora uma plataforma que presta este serviço”.

A rede TDT de Cabo Verde tem oito canais de televisão e seis rádios à disposição, tendo sido acrescentando recentemente o canal TV Educativa, gerido pelo Ministério da Educação como plataforma de apoio ao ensino à distância, devido aos condicionalismos da pandemia de covid-19 no funcionamento das escolas e na manutenção das aulas presenciais.

Cabo Verde é um dos cinco países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) que mais avançados em termos de implementação da TDT, conforme determinou a União Internacional de Telecomunicações (UIT).

A CVB anunciou em fevereiro a colocação no mercado de 30.000 descodificadores, para garantir a transição da rede analógica até maio.

A empresa estatal explicou que no “âmbito do plano de desligamento” dos serviços de televisão analógica em todo o território nacional, procedeu à “aquisição de 30 mil descodificadores para serem vendidos a preço igualitário e mais acessível à população”.

A venda destes equipamentos – para permitir a receção de sinal digital em aparelhos de televisão analógicos – está a ser feita através dos balcões dos Correios de Cabo Verde (CCV) dispersos pelos 22 municípios do país, previsto num protocolo a assinar pelas administrações das duas empresas na quinta-feira.

“A disponibilização de mais 30.000 descodificadores em Cabo Verde vem colmatar, ainda, a insuficiência do aparelho no mercado o que, consequentemente, poderia comprometer todo o processo de desligamento” da rede analógica, acrescentou a CVB.

Por: Lusa