Cabo Verde ocupa a 87ª posição mundial no “ranking” Global de Ecossistemas da StartUpBlink

107

Cabo Verde ocupa a 87.ª posição a nível mundial e a nona do continente africano, correspondente ao terceiro lugar na sub-região da CEDEAO, no “ranking” Global de Ecossistemas de Inovação da StartUpBlink, actualizado esta quarta-feira.

De acordo com o relatório da StartUpBlink, os três primeiros lugares do “ranking” mundial continuam a ser ocupados pelos Estados Unidos da América, Reino Unido e Israel, respectivamente.

Em relação à Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), o Brasil ocupa o 24º lugar, seguido de Portugal no 27º e Cabo Verde no 87º posto.

A nível do continente africano, de acordo com o relatório, os três primeiros lugares são ocupados pela África do Sul (48ª a nível global), Quénia (61º a nível global) e Nigéria (63º a nível global), sendo que Cabo Verde ocupa a 9ª posição no continente africano.

Ainda, de acordo com a fonte, a nível de Marketing e Tecnologia de Vendas, Cabo Verde, encontra-se no 51º lugar e no 72º no capítulo de Software e Dados, com a Cidade da Praia a subir 38 posições, ao ocupar o lugar 624º a nível mundial e por conseguinte a 12ª posição entre as principais cidades insulares.

“Não obstante o cenário de incerteza e angústia global e o impacto negativo da pandemia nos vários aspectos da vida do país, sente-se uma grande mobilização de empresas de base tecnológica, em resposta aos novos desafios, no desenvolvimento de soluções inovadoras suportadas por tecnologias, para ajudar a atenuar os impactos do coronavírus nas economias e na vida das pessoas”, lê-se no documento citado pela Cabo Verde Digital.

O secretário de estado para a Economia Digital, Pedro Lopes, justificou o feito com o facto de se ter feito um grande esforço para que o país figurasse pela primeira vez no ranking em 2020, tendo deixado claro que o objectivo era em cada ano, subir posições, o que tem vindo a acontecer.

Esta subida no ranking, considerou, “é fruto do trabalho das startups e dos jovens cabo-verdianas que acreditam, cada vez mais, na tecnologia como uma ferramenta de desenvolvimento económico e social e também o trabalho do Governo que tem posicionado este sector como um sector estratégico para o desenvolvimento do País”.

Sediada em Israel, a StartUpBlink dedica-se à investigação e mapeamento de ecossistemas de inovação para startups em 1.000 cidades e 100 países do mundo.

O Relatório Global de Rankings da StartupBlink 2021 é baseado em um algoritmo desenvolvido nos últimos seis anos, resultando em um dos “rankings” mais abrangentes de ecossistemas de startups e inovação do mundo, sendo que os resultados são gerados através da combinação de várias fontes de dados e algoritmos específicos que ponderam critérios como a quantidade, a qualidade e o ambiente de negócios.

Por: Inforpress