Cabo Verde pede ajuda em materiais médicos à União Europeia e à China para combater o Covid-19

444

O ministro dos Negócios Estrangeiros anunciou hoje que Cabo Verde já pediu apoio em materiais médicos à União Europeia e à China para enfrentar a epidemia do Covid-2019, caso o País venha a registar “casos complicados”.

Luís Felipe Tavares, em declarações à imprensa no final da assinatura de um protocolo entre Cabo Verde e a China, na Cidade da Praia, no âmbito da concessão gratuita de assistência militar, disse que o País está a preparar-se para fazer face ao novo coronavírus.

Informou que na terça-feira, 10, houve um encontro com o grupo local de seguimento da parceria especial Cabo Verde-União Europeia e que essas questões foram acordadas com os embaixadores dos Estados-membros da União Europeia.

Segundo o ministro, a União Europeia já disponibilizou um montante de 232 milhões de euros para apoiar no combate ao novo coronavírus, e nesta senda Cabo Verde já enviou “um pedido concreto”.

“Vamos aguardar com tranquilidade e estamos a acompanhar com muita responsabilidade. O Ministério da Saúde tem acompanhado a situação de perto e vamos continuar a trabalhar com confiança e acreditamos que estaremos à altura dos desafios que se colocam ao nosso país numa situação que é mundialmente complicada”, garantiu.

Com estes apoios, que o Governo está a mobilizar para enfrentar “situações complicadas”, Luís Felipe Tavares disse-se “seguro” de que o País estará preparado.

Em relação aos cerca de 50 estudantes cabo-verdianos que regressaram da China, Luís Felipe Tavares assegurou que estão a trabalhar, em concertação com o governo da China, para garantir o retorno para prosseguirem os seus estudos em condições de segurança.

Por: Inforpress