Cabo Verde registou este ano uma produção “bastante insuficiente” de grãos e em muitos sítios de pasto

193

Cabo Verde registou este ano uma produção “bastante insuficiente” de grãos e em muitos sítios de pasto, disse hoje o ministro da tutela, avançando que já está no terreno o plano emergencial para atenuar os efeitos do mau ano agrícola.

Em declarações à imprensa na cidade da Praia, o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, disse que este ano a produção de grãos em todo o país foi “bastante insuficiente” e em muitos sítios também de pasto.

“Mas comparado com os anos anteriores de muita seca, tivemos este ano nalgumas ilhas uma boa produção de pasto, mas não significa que não há sítios em que temos um défice muito grande, no caso do Porto Novo, uma parte do Paul, em Santo Antão, mas também na ilha de Santiago, concretamente no concelho da Ribeira Grande, e em Tarrafal de São Nicolau”, apontou.

De acordo com o governante, há sítios no país que estão numa situação pior, há outros onde é menos pior. “Há uma avaliação pormenorizada feita, mas de um modo geral é isto quando estou a falar de pasto”, prosseguiu.

Relativamente à água, o ministro afirmou que este ano praticamente não houve escoamento superficial na maior parte das ribeiras do país.

“Mesmo assim temos que dizer que nalgum sítio houve alguma recarga, mas também de um modo geral é insuficiente para a nossa necessidade”, insistiu Gilberto Silva.

Por isso, o ministro disse que o país já está a implementar o plano de 1,5 milhões de euros, aprovado em outubro para atenuar os resultados de um mau ano agrícola em alguns pontos do arquipélago.

Neste momento, avançou, alguns contratos já foram celebrados com alguns municípios para se criarem postos de emprego público.

“Tomamos outras medidas que têm que ver com a produção de ração, neste caso os protocolos também já estão sendo celebrados”, deu conta a mesma fonte.

Orçado em 170 milhões de escudos cabo-verdianos (1,5 milhões de euros), o plano emergencial vai priorizar a criação de empregos públicos municipais e produção na pecuária e está sujeito a alteração, após a avaliação final dos resultados da campanha agrícola 2021/2022.

Por: Lusa