Candidato presidencial brasileiro Jair Bolsonaro foi esfaqueado durante campanha

195

O candidato às eleições presidenciais brasileiras foi esfaqueado na quinta-feira durante uma ação de campanha. Após a operação realizada num hospital em Minas Gerais, Jair Bolsonaro apresentava um quadro médico estável. Num vídeo publicado depois da cirurgia de urgência, o candidato brasileiro diz que “nunca fez mal a ninguém”.

“Ele está consciente, já acordou, reconheceu os filhos”, disse o médico cirurgião Luiz Henrique Borsato, do hospital da Santa Casa de Juiz de Fora, em Minas Gerais, em declarações à Globo. 
 
Num vídeo gravado no hospital já depois da cirurgia, o candidato agradeceu aos médicos, lamentou o ataque e garantiu que nunca fez mal a ninguém. 
 
Jair Bolsonaro foi encaminhado rapidamente para o hospital da Santa Casa de Juiz de Fora, dando entrada às 15h40 (17h40 em Cabo Verde). O candidato teve perdas significativas de sangue e registou uma pressão arterial baixa, segundo dados do hospital.

“O que houve foi uma hemorragia na veia abdominal, que foi logo estancada, e lesões nos intestinos grosso e delgado. Foi retirada a parte lesada do intestino grosso”, disse o médico cirurgião, citado pelo órgão de comunicação brasileiro.


Apesar do quadro estável, Bolsonaro não deverá receber alta hospitalar antes de “uma semana ou 10 dias”, explicou o cirurgião. 

Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL), é candidato da extrema-direita brasileira e está em segundo lugar nas sondagens para as eleições presidenciais brasileiras, que decorrem em outubro. 

O autor do ataque é um homem de 40 anos que não tem qualquer filiação partidária e disse à polícia que decidiu atacar Jair Bolsonaro porque não concorda com as ideias do candidato. 
 
Já houve várias reações ao ataque, incluindo do Presidente brasileiro, Michel Temer, que considerou este ato como “intolerável”. 

Os candidatos às eleições presidenciais brasileiras também já condenaram o ataque.

Por: RTP/Lusa