A partir de hoje é exigido o certificado covid-19 de vacinação com a 3ª dose ou teste negativo PCR realizado nas 72 horas anteriores, teste antigénio nas 48 horas ou certificado de recuperação para viagens inter-ilhas.

Esta decisão saiu do Conselhos de Ministros e anunciada no mês de Junho, pela porta-voz governamental, Filomena Gonçalves, que na ocasião afirmou que esta medida foi tomada com base na análise feita pela Direcção Nacional de Saúde, tendo em conta o aumento os casos positivos da covid-19 registados nos diferentes concelhos do país.

“Atendendo que os principais indicadores a nível nacional registaram nos últimos dias um aumento de índice de transmissibilidade RT na ordem 1,52, acima de 1 como recomendado, e a taxa de incidência acumulada a nível nacional ter aumentado de 19 para 68 por 100 mil habitantes, acima do limiar dos 25 por 100 mil habitantes”, indicou na altura.

O Governo, de acordo com a ministra, entende que a evolução que o quadro epidemiológico tem registado a nível nacional requer adoção de medidas que promovam o reforço do nível de segurança e proteção sanitária.

“Quem vai fazer uma viagem inter ilhas terá que apresentar Certificado COVID válido de vacinação que atesta a toma de terceira dose, ou Certificado COVID válido de recuperação ou ainda certificado de teste negativo RT PCR realizado nas 72 horas anteriores ou antigénio realizado nas 48 horas anteriores a hora de embarque”, explica, sublinhando que estas exigências não são aplicadas às crianças com idade até os 12 anos.

Na altura, acrescentou que para efeito de viagens internacionais de vinda a Cabo Verde, mantém-se a obrigatoriedade da apresentação pelos passageiros e tripulantes que se desloquem por meios aéreos e marítimos de certificado covid-19 válido de vacinação que ateste a toma de terceira dose, ou certificado covid válido de recuperação ou certificado do teste negativo RT PCR nas 72 horas anteriores ou antigénio realizado nas 48 horas anteriores a hora de embarque.

E para as viagens internacionais com partida de Cabo Verde, prosseguiu, a aceitação dos Certificados COVID depende dos acordos estabelecidos com os países terceiros, ou seja, com os países de destino.

“Os passageiros em trânsito de escala ou transferência desde que não transponham a fronteira nacional são dispensados da apresentação de Certificado da COVID, ou apresentação de comprovativo de realização de teste para despiste a infecção por SARS CoV-2, sem prejuízo de observância das medidas determinadas pelas autoridades sanitárias”, avisou.

Cabo Verde analisou um total de 8405 amostras nos últimos 14 dias, uma média de 600 por dia, “nos últimos 14 dias, isto é, de 13 a 26, que resultaram num total de 2461 casos novos testados de covid-19”, informou o Ministério da Saúde esta segunda-feira.

A mesma fonte avançou que em relação à vacinação, até 12 de Junho, Cabo Verde já utilizou 733469 (70,1%) doses de vacinas contra a covid-19 e concernente aos adolescentes, um total de 46376 (86,3%) já tomou a 1ª dose e 38691 (72%) já estão completamente vacinados.

Cabo Verde registou esta quinta-feira mais 315 novos positivos da covid-19 e 230 pessoas foram dadas como recuperadas da doença.
Com estes dados, o país passa a contabilizar 1201 casos activos 58 mil e 885 casos recuperados, 405 óbitos, 43 óbitos por outras causas e 9 transferidos, perfazendo um total de 60 mil e 542 casos positivos acumulados.

A doença covid-19 é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, na China.

Por: Inforpress