Cidade Velha: Arqueólogos descobrem imagens de santos em secular capela

281

Arqueólogos do Instituto do Património Cultural (IPC) de Cabo Verde realizaram uma intervenção de urgência na Capela Gótica da Igreja Nossa Senhora do Rosário, Cidade Velha, depois de descobertas imagens de santos durante uma escavação, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o IPC referiu que no âmbito do restauro em curso naquela capela, com cerca de 500 anos, financiado pelo instituto Camões, foram encontradas imagens de santos “cujo a disposição e contexto conduziram a uma intervenção arqueológica de urgência”.

“Segundo informações preliminares, trata-se de um ritual católico praticado a partir do momento que uma imagem deixa de ser utilizada. As mesmas, em madeira e material cerâmico, apresentam um elevado nível de degradação e datação desconhecida”, explicou o IPC.

Uma equipa de arqueólogos daquele instituto está agora “a escavar toda a área, tendo em conta a existência de outras matérias que vão surgindo, nomeadamente fragmentos de ossos humanos”.

Construída em 1495, a Igreja Nossa Senhora do Rosário, no concelho de Ribeira Grande de Santiago, integra um dos raros exemplos da arquitectura gótica na África subsaariana. Em termos arquitectónicos, o conjunto possui características típicas da arquitectura quinhentista.

A intervenção global na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, onde pregou o Padre António Vieira e por onde terão passado Vasco da Gama e Cristóvão Colombo, iniciou-se em Dezembro de 2018.

A igreja é considerada o mais antigo edifício histórico da Cidade Velha que se mantém intacto.

O templo conta com uma “capela esplêndida de estilo manuelino” que é o seu elemento fundador, indicou anteriormente o IPC.

A Cidade Velha foi classificada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) como Património da Humanidade em 10 de Maio de 2009. Em 26 de Junho do mesmo ano obteve a classificação de uma das Sete Maravilhas do Mundo de origem portuguesa.

A reabilitação global da igreja foi financiada pelo Governo de Cabo Verde, através do Fundo do Turismo, e a intervenção na Capela Gótica suportada pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.

Por: Inforpress/Lusa