Com dois meses de salário atrasado Júnior pediu rescisão com a União da Madeira

2044

As coisas não estão a correr bem para a União da Madeira.

A equipa da União da Madeira está na zona de despromoção da Ledman LigaPro, segunda divisão portuguesa de futebol, e foi eliminada da Taça de Portugal. Para além destes factores no relvado, o clube atravessa um momento crítico a nível financeiro.

Segundo a edição de quarta-feira do jornal português Record, cinco jogadores do plantel avançaram com pedidos de rescisão contratual face aos dois meses de salários em atraso.

O avançado, que pode jogar como extremo, Júnior é um dos jogadores.

O Sindicato de Jogadores, na voz do presidente Joaquim Evangelista, já reagiu a está situação: «É natural que os jogadores nestas circunstâncias queiram encontrar uma outra solução para a sua actividade profissional. Não temos de culpar quem procura o melhor para si e para as suas famílias».

«Os clubes devem honrar os seus compromissos ou estabelecer um diálogo de confiança com os jogadores para que, em circunstâncias deste género, eles acreditem que as direcções irão cumprir as suas obrigações», realçou o dirigente, que informou que ainda não conseguiu reunir com Filipe Silva, líder da SAD do União.

Gildo Olímpio Sena Monteiro, conhecido por Júnior, de 26 anos, chegou nesta temporada à União da Madeira e já leva 22 jogos marcando seis golos.