Atualmente, os maiores clubes da Europa fazem acordos com grandes empresas para cederem os espaço das suas camisolas.

Companhias aéreas, empresas de telecomunicações ou instituições financeiras são alguns dos parceiros que pagam valores milionários para terem a sua imagem nas camisolas de Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi, por exemplo.

O Maisfutebol apresenta-lhe agora os quinze contratos de patrocínio mais milionários do futebol:

  1. Manchester City (Etihad Airways) – O clube que jogam os portugueses Bernardo Silva, João Cancelo e Rúben Dias arrecada 78,5 milhões de euros por época da companhia aérea do Emirados Árabes Unidos.
     
  2. Real Madrid (Emirates) – Também de uma companhia aérea, o Real Madrid recebe 70 milhões de euros por ano para ter o nome da Emirates nas suas camisolas.
     
  3. Barcelona (Spotify) – Recentemente o clube catalão assinou um mega contrato de patrocínio, que inclui o naming do estádio, com a empresa de streaming num valor total de 435 milhões de euros por cinco temporadas. A Spotify vai pagar 62,5 milhões de euros por temporada para ter a sua imagem nas camisolas do Barcelona.
     
  4. Paris Saint-German (Qatar Airways) – Nesta nova temporada, o clube francês assinou um contrato de patrocínio com a companhia aérea do Qatar, país dos proprietários do clube. Apesar de não ter revelado o valor acordado, o PSG irá receber entre 60 e 70 milhões de euros por ano.
     
  5. Manchester United (TeamViewer) – Os «Red Devils» recebem cerca de 54 milhões anualmente por promover o nome de uma empresa de software que oferece aos seus utilizadores o acesso e controlo remoto de dispositivos.
     
  6. Tottenham (AIA Group) – Recentemente, os «Spurs» renovaram até 2027 o seu patrocínio com a companhia de seguros asiática AIA Group, da qual recebem cerca de 48 milhões de euros por ano.
     
  7. Chelsea (Three) – Desde 2020 que a empresa de telecomunicações Three está nas camisolas dos «Blues», pagando cerca de 46 milhões de euros por temporada. Com a invasão da Ucrânia no passado mês de fevereiro, a empresa suspendeu o contrato devido à ligações do Roman Abramovich a Vladimir Putin, mas com a venda do clube parece que o acordo reatou.
     
  8. Liverpool (Standard Chartered) – Parceiro desde 2010, o banco Standard Chartered paga cerca de 45 milhões por ano para ter a sua imagem nas camisolas dos «Reds».
     
  9. Arsenal (Emirates)  A ligação entre o clube de Londres com a companhia aérea perdura quase há 20 anos. Com contrato até 2024, o Arsenal recebe cerca de 45 milhões de euros por ano.
     
  10. Juventus (Jeep) – Na «Vecchia Signora», há uma tradição familiar. Com o clã Agnelli, proprietário do clube desde 1923, e principal patrocinador do emblema de Turim, pois a Jeep é propriedade da FIAT, que por sua vez pertence à família Agnelli. Com um contrato até 2024, a Juve recebe cerca de 45 milhões por ano.
     
  11. Atlético de Madrid (WhaleFin) – Esta temporada, os «Colchoneros» assinaram um contrato de cinco anos com a WhaleFin, uma empresa ligada ao mundo das criptomoedas. O Atlético de Madrid irá receber cerca de 42 milhões por temporada.
     
  12. Borussia Dortmund (1&1 / Evonik) – No Borussia existem dois patrocinadores principais, a empresa alemã de telecomunicações 1&1 para as competições domésticas e a Evonik, uma empresa alemã da indústria química para competições europeias. De cada um desses patrocinadores, o clube alemão recebe cerca de 20 milhões por ano. 
     
  13. Bayern Munique (T-Mobile)  A ligação do Bayern de Munique com o seu principal patrocinador, a T-Mobile, dura desde 2002 e o contrato atual vigora até 2023. Por envergar o logotipo da operadora de telecomunicações, uma subsidiária da Deutsche Telekom, o clube bávaro recebe 30 milhões de euros por temporada.
     
  14. Inter (Digitalbits) – Depois de 25 anos com a marca de pneus milanesa Pirelli, o Inter também voltou-se para o mundo das tecnologias, assinando com a Digitalbits. Com acordo até 2025, o clube italiano recebe cerca de 28 milhões de euros por ano.
     
  15. Milan (Emirates) – Já o valor recebido pelo outro clube de Milão é bem menor que o do rival. Com o contrato a expirar em 2023, a Emirates paga 10 milhões por época para estar visível nas camisolas do clube «rossonero».

Por: Maisfutebol