Covid-19: Cabo Verde vacina quase 16 mil pessoas e espera receber em maio doses de Portugal

155

Cabo Verde já vacinou cerca de 15.900 pessoas com pelo menos a primeira dose das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, dos quais 94% são profissionais de saúde, e espera receber ainda este mês vacinas de Portugal.

Os dados foram avançados em conferência de imprensa, na cidade da Praia, pelo diretor nacional de Saúde, Jorge Noel Barreto, indicando que 4.013 profissionais de saúde já receberam a primeira dose, e que desses 2.609 já tomaram a segunda, representando 61% previsto no plano nacional de vacinação.

Em relação aos idosos, o grupo com idade superior a 60 anos que está a ser vacinado neste momento, o porta-voz do Ministério da Saúde avançou que 9.770 pessoas já foram imunizadas com pelo menos uma dose.

Jorge Barreto lembrou que a prioridade neste momento para Cabo Verde é a aquisição das vacinas contra a covid-19, e que o Governo tem feito um “esforço enorme” em contactos com parceiros no sentido de identificar mais fornecedores.

Entretanto, explicou que a grande questão não é a disponibilidade de recursos para compra, mas sim a escassez desses remédios no mercado para serem adquiridas.

Na semana passada, o ministro de Estado e Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, anunciou que Portugal vai antecipar o envio para Cabo Verde de vacinas contra a covid-19.

O diretor nacional de Saúde disse na conferência de imprensa que Cabo Verde espera receber essas doses ainda este mês de maio. “Se tudo correr bem vai ser mais um reforço enquanto nós vamos aguardando as outras oportunidades de chegada de vacinas”, previu Jorge Barreto.

Cabo Verde recebeu 24.000 doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca em 12 de março e 5.850 da Pfizer dois dias depois, com o plano de vacinação nacional a iniciar-se em 19 de março, assumindo o Governo a meta de imunizar 70% da população até final do ano.

As doses já recebidas por Cabo Verde inserem-se num total de 108 mil a fornecer pela AstraZeneca ao abrigo da Covax, iniciativa fundada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que visa garantir uma vacinação equitativa contra o novo coronavírus.

A vacinação começou com os profissionais de saúde que trabalham na linha da frente do combate à pandemia, mas o plano de vacinação contra a covid-19 em Cabo Verde colocou nos grupos prioritários ainda os doentes crónicos, maiores de 60 anos, profissionais do turismo, professores, agentes da Polícia Nacional, Forças Armadas e elementos do Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros, estimando-se a necessidade de 267.293 doses da vacina.

A Gavi/Covax foi criada para garantir que as vacinas contra a covid-19 sejam disponibilizadas para as pessoas que vivem em 92 países de baixo e médio rendimento.

Cabo Verde tem registado valores máximos diários de novos infetados consecutivos desde 31 de março, praticamente todos os dias acima de 200 e até ao pico de 409 casos em 28 de abril, muito acima do máximo anterior de 159 novos casos, em 11 de outubro de 2020.

O Governo voltou a decretar, na sexta-feira, a situação de calamidade em todas as ilhas, exceto na ilha Brava, para os próximos 30 dias, agravando medidas de limitação de atividades com aglomerações de pessoas, face ao aumento dos novos casos de covid-19.

Nas últimas 24 horas, o país diagnosticou mais 180 infetados e dois óbitos, de um total de 24.548 casos positivos acumulados desde o início da pandemia, dos quais 21.249 foram considerados recuperados e há 3.058 casos ativos da doença.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.203.937 mortos no mundo, resultantes de mais de 152,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Por: Lusa