Covid-19: Campeonatos suspensos em Cabo Verde por três semanas

137

As federações desportivas cabo-verdianas vão suspender todos os campeonatos nacionais durante três semanas, conforme pedido feito pelo Governo como medida de prevenção à pandemia de Covid-19, anunciou hoje o executivo.

Segundo uma nota do Governo cabo-verdiano, o entendimento foi obtido depois de uma reunião entre o ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, e os dirigentes de várias federações, na terça-feira, visando a “suspensão dos campeonatos e de qualquer outra atividade que aglomere grande número de pessoas, por um período de três semanas”.

“Felizmente com grande sentido de respeito e amor ao próximo, todas as federações aceitaram a suspensão do campeonato nacional e qualquer outra atividade aglomeradora, por um período de três semanas”, declarou Elísio Freire, acrescentando que vários equipamentos desportivos públicos, como o Estado Nacional, vão ser encerrados.

Cabo Verde continua sem registar qualquer caso de Covid-19, provocado por um novo coronavírus.

De acordo com o Governo, a decisão de suspensão dos campeonatos nacionais deverá ser reavaliada em função da evolução da situação do país.

“Haverá sempre uma reavaliação de todo o processo daqui a três semanas e esperamos que o nosso país reaja bem, se una e que todos os cabo-verdianos trabalhem mesmo forte e de forma afincada para que possamos vencer esta luta”, frisou o governante.

Face ao risco de pandemia no arquipélago, o Governo avançou com um plano de contingência com fortes medidas de proteção e restrições, como o enceramento dos bares e restaurantes às 21:00, proibição de visitas a lares e aos centros onde estejam pessoas de terceira idade e aos estabelecimentos prisionais e às visitas aos hospitais e outros estabelecimentos de saúde.

Além disso, Cabo Verde proíbe a partir de hoje, e pelo menos até 09 de abril, as ligações aéreas oriundas de 26 países, incluindo Portugal e Brasil, devido à pandemia do novo coronavírus, segundo resolução do Conselho de Ministros publicada na terça-feira em Boletim Oficial.

Com esta decisão, que envolve ainda a proibição de atracagem em território nacional de navios de cruzeiro ou veleiros, na prática, o país fecha-se ao exterior.

Estas medidas, que incluem ainda a antecipação para 23 de março do início das férias escolares da Páscoa, vão estar em vigor por um período de pelo menos 30 dias.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 220 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 9.000 morreram.

Por: Lusa