Elyane Boal: “Não vim competir. Vim ser feliz”

1613
A ginasta cabo-verdiana foi a única vinda do continente africano e tal facto chamou a atenção dos media brasileiros. Alem desse facto, sempre que ela entrava na arena para a sua prova a multidão gritava o nome dela. Elyane Boal ficou no ultimo lugar na competição de Ginástica Rítmica mas quando ao quesito “conquistar o publico” isso ela levou a melhor sobre muitas atletas. “Fiquei surpresa com o carinho do público e emocionada. Nunca esperava por isso”, afirmou Elyane ao site brasileiro UOL. Elayne, de 18 anos, chegou ao Rio atravez de um convite do Comité Olímpico Internacional (COI). “Não vim aqui para competir. Vim para ser feliz, representar meu país, para abrir janelas em Cabo Verde para que outras possam estar um dia aqui. Estou muito satisfeita. As outras ginastas, para mim, são parte de outro mundo”, disse a jovem cabo-verdiana na mesma entrevista. Depois dos Jogos Olímpicos, agora a jovem vai iniciar seus estudos na faculdade Engenharia para garantir independência financeira no futuro. Também vai tentar conciliar os treinos com os estudos.