Época futebolista na ilha do Fogo foi anulada e não há títulos

72

À semelhança do que aconteceu, na quinta-feira, em São Vicente, no Fogo também está anulada a temporada de futebol 2019/20. Decisão tomada, este sábado, pela larga maioria dos clubes, em assembleia-geral da ARFF.

Numa assembleia-geral extraordinária  da Associação Regional de futebol do Fogo, realizada este sábado em São Filipe, os clubes votaram pela anulação do campeonato regional do fogo.

Foi um resultado expressivo de 11 contra 3 dos 14 clubes presentes. A reunião extraordinária, que durou sensivelmente duas horas, esteve um único ponto na agenda: o desfecho da época desportiva.

Foram apresentados três cenários para o desfecho da temporada: anulação, retoma ou atribuição dos títulos. As equipas tiveram a oportunidade de expressar a sua opinião quanto aos cenários apresentados. No final, a primeira proposta, ou seja, a anulação ou não da época foi submetida a votação e a preferência da maioria foi para a anulação da presente época.

“Dos 14 votos, 11 votaram a favor da anulação da época desportiva, representando isso que ninguém sobe, ninguém desce. E quando falamos na época desportiva, nós incluímos todas as competições: a primeira divisão, a segunda divisão, sub 17, sub 20 e futebol feminino. Estava em jogo todos estes aspectos e achou-se por bem que esta era a melhor decisão.”

Segundo o  presidente da Associação Regional do Futebol do Fogo, Pedro Pires, a decisão levou em conta os aspectos legais, sanitários, desportivos e financeiros.
Houve quem questionasse o porquê da realização da assembleia-geral quando a direcção da ARFF tinha legitimidade para decidir sozinha o futuro da época 2019/2020. Pedro Pires esclareceu.

“A direcção da Associação pode, sim, homologar resultados. Mas, face a este cenário novo, nós entendemos que seria e uma forma, se calhar mais democrática, trazer esta matéria para a plenária. Eu acho que deu-se uma extraordinária lição democrática desportiva.”

Apesar de todas as incógnitas em relação à pandemia, se vai ou não influenciar a próxima época, Pedro Pires aproveitou a oportunidade para lançar um desafio aos clubes.

“Analisarmos um outro modelo do campeonato para o próximo ano. Um campeonato, provavelmente, mais competitivo.


A anulação estende-se a todas as outras competições ou seja femininos, sub 17 e sub 20.

Por: RTC