Inicio Destaques Estimativas apontam 15 milhões de mortos devido à Covid-19

Estimativas apontam 15 milhões de mortos devido à Covid-19

84

A Organização Mundial de Saúde afirmou esta quinta-feira que 14.9 milhões de pessoas morreram em todo o mundo tanto diretamente devido à Covid-19 como pelo impacto da pandemia nos sistemas de saúde e na sociedade.

As estimativas apontam que só a Índia tenha tido 4.7 milhões de fatalidades – quase tanto como o número de mortes mundialmente atribuídas ao vírus SARS-CoV-2 – o que motivou protestos das entidades oficiais do país.A contabilidade oficial de mortes diretamente atribuíveis à Covid-19 e reportadas à Organização Mundial de Saúde entre janeiro de 2020 e o final de dezembro de 2021 supera ligeiramente os 5.4 milhões.
 
Em Nova Deli, o executivo indiano protestou vigorosamente contra a utilização de modelos matemáticos por parte da OMS para projetar as estimativas de mortalidade ligadas à pandemia do coronavírus, devido à falta de dados autenticados.
 
A validade e robustez dos modelos usados e a metodologia de recolha de dados são questionáveis, acusaram. A questão deverá vir a ser levantada pela Índia na Assembleia Geral da OMS e em fóruns internacionais.
 
As novas estimativas publicadas pela OMS apontam que o número total de mortes associadas, direta ou indiretamente, com a pandemia de Covid-19, descrita como excesso de mortalidade, entre 1 de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2021, foi de aproximadamente 14,9 milhões, com uma variação entre 13,3 milhões de 16,6 milhões.
 
As mortes ligadas indiretamente à Covid-19 foram atribuídas a outras condições de saúde que impediram as pessoas de aceder a prevenção e tratamentos, porque os sistemas de saúde estavam assoberbados pela pandemia.
 
Os números não só apontam o impacto da pandemia mas igualmente a necessidade de todos os países investirem mais em sistemas de saúde resilientes que possam sustentar serviços essenciais de saúde durante crises, incluindo sistemas de informação de saúde mais robustos, afirmou o secretário-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, garantindo plena colaboração da organização para cumprir este objetivo.
 
O número de mortes em excesso pode também dever-se às mortes evitadas durante a pandemia devido a menor risco de alguns eventos, como mortes rodoviárias ou acidentes de trabalho.
 
Para a Índia, o número de mortes em excesso associadas à pandemia estimadas pela OMS é de 4,740,894. Numa nota técnica, a OMS afirmou que as estimativas não podem ser tidas como as estatísticas nacionais oficiais do país, devido às diferenças de recolha de dados e de métodos utilizadas pela organização das Nações Unidas.
 
A Índia tem colocado objeções à metodologia adotada pela OMS para projetar as estimativas da mortalidade em excesso com base em modelos matemáticos, referiu o Ministério indiano da Saúde em comunicado.
 
“Apesar da oposição da Índia ao processo, metodologia e resultados deste exercício, a OMS tem continuado a publicar as estimativas sobre a mortalidade excessiva sem ter em conta de forma adequada as preocupações da Índia”, referiu o comunicado.
Por: RTP