Estudante cabo-verdiano ajuda a criar um dos maiores relógios solares no Brasil

873

Estudantes da Universidade Federal do Piauí (UFPI), no Brasil, produziram um “relógio solar” que marca a hora, o dia e o mês do ano, e segue a posição do sol.

Alunos se reúnem no CT para preparar o relógio solar (Foto: Fernando Brito/G1)

O relógio foi construído no estacionamento do Centro de Tecnologia (CT) da instituição e nasceu na sala de aula, foi para prática e se tornou um dos maiores relógios solares do país, segundo o professor Dr. Jean Prost, que também é coordenador do curso de engenharia da UFPI.

Segundo o Dr. Jean Prost o projecto foi pensado para dinamizar o conhecimento que se adquire em sala de aula. Prost contou que o relógio solar com 10 metros de diâmetro é o primeiro a ser construído no Piauí e está entre os maiores do país, perdendo para o de Tocantins que tem 50 metros.

Osvaldo Francisco (esquerda) e João Henrique (direita) participaram do projecto (Foto: Fernando Brito/G1)

João Henrique Ribeiro de 18 anos é natural de Cabo Verde e estuda Engenharia Civil e de Arquitectura e Urbanismo, Osvaldo Francisco Dias, de 23 anos, é natural de Angola. Os dois estudantes ajudaram a fazer parte do projecto.

“Aqui é a teoria que se aprende em sala de aula se tornando prática, concreta. Nas aulas, eu tive a maior dificuldade em entender todo o funcionamento do relógio e também como eu poderia usá-lo no exercício da minha profissão. Hoje, muito mais fácil do que se aprender a teoria é fazer aqui, fora de sala de aula”, contou João, que mora em Teresina há seis meses.

Professor mostra a ponta da sombra que no exacto momento marcava 17h (Foto: Fernando Brito/G1)

Uma haste de madeira de 2 mil milímetros de altura é fixada no meio do relógio e algumas linhas no chão riscadas após serem milimetricamente calculadas, demarcam o horário, dias e os meses do ano.

“O ponteiro é a sombra que é formada pelo sol, a partir da haste de madeira que foi fixada do meio do relógio. Na rotação natural do sol, os raios solares incidirão na haste, e o seu movimento vai marcar no relógio desenhado no chão, o mês, o dia e o horário certinho. Sem precisar de corda, pilha, bateria. É um relógio natural”, disse o professor Prost.

Fonte: G1