O ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, assegurou hoje que o Governo está a trabalhar para que o País possa alcançar 100% dos veículos eléctricos em 2050, de modo a contribuir para um futuro sem carbono.

O governante, que falava à imprensa na manhã de hoje, à margem da cerimónia de entrega de veículos eléctricos aos primeiros beneficiários do programa de incentivos à mobilidade eléctrica em Cabo Verde (ProMEC), garantiu que o Governo trabalha para que o País possa depender menos da importação de combustíveis fósseis.

“O plano que está a ser executado permite ao País chegar a 2030 com mais electricidade produzida por vento e sol do que a partir de combustíveis fósseis e paralelamente estamos a promover a substituição de veículos que usam combustíveis como gasóleo e gasolina por veículos eléctricos”, revelou.

A ambição do Governo, segundo o ministro, é alcançar 100% dos veículos elétricos em 2050, meta essa que, no seu entender, é exequível uma vez que tem estado a cumprir com o plano traçado e com iniciativas de criação de incentivos, com o “forte apoio” dos parceiros.

“O programa de mobilidade elétrica em curso não tem nenhum encargo para as finanças públicas sendo que são fundos climáticos mobilizados externamente para ajudar na construção desse futuro sem carbono que ambicionamos alcançar em 2050”, apontou.

Por outro lado, Cabo Verde, indicou o governante, está a cumprir com a carta de política aprovada em 2018, documento esse que tem orientado o País e todas as instituições em termos de intervenção a nível da mobilidade eléctrica sendo que exige uma intervenção transversal.

Segundo Alexandre Monteiro, as medidas implementadas até a data são “estruturantes” e tornam o País “mais resiliente e melhor preparado” para enfrentar o choque externo, como o aumento dos combustíveis, derivado da guerra motivada pela invasão da Ucrânia pela Rússia.

“Hoje podemos afirmar que Cabo Verde tem um quadro atractivo e está pronto para receber viaturas elétricas, isto graças ao percurso traçado e percorrido nesses últimos anos”, sublinhou o ministro, que considerou o acto de hoje de “marco histórico” no trajecto da mobilidade eléctrica em Cabo Verde.

Por seu turno, o coordenador do programa de incentivos à mobilidade elétrica em Cabo Verde (ProMEC), Leo Pagnac, avançou que neste momento tem 22 pedidos de carros elétricos no âmbito do programa que termina em Junho de 2025.

Segundo explicou este responsável, as viaturas são “mais eficientes em energia, muito mais económicas, ou seja, três vezes mais barato do que um carro a gasolina e a manutenção é 30% mais barato”.

Leo Pagnac disse ainda que cada um dos beneficiários recebeu um incentivo de mais de 600 contos.

A margem da cerimónia, foi lançado o concurso para a seleção de uma concessionária para a instalação e operação dos primeiros 44 postos de carregamento público em todas as ilhas do país.

O Projecto Promoção de Veículos Eléctricos em Cabo Verde, que tem a duração de cinco anos, visa garantir a assistência técnica e disponibilidade de financiamento para o desenvolvimento do quadro legal e a implementação de um mecanismo de facilitação e atribuição de incentivos para a aquisição de cerca de 600 veículos eléctricos e a instalação de cerca de 55 estações de recarga.

O programa, que é implementado pela Direcção Nacional da Indústria, Comércio e Energia, (DNICE), é financiado pelo NaMA Facility, e conta com assistência técnica da Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ).

O NAMA Facility é um programa conjunto de protecção climática do Ministério Federal Alemão para o Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear, do Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial do Reino Unido, da União Europeia e do Ministério Dinamarquês do Clima, Energia e Serviços Públicos, que apoia os países parceiros na implementação das suas acções de mitigação definidas e apropriadas pelos países beneficiários.

Por: Inforpress