O Conselho de Ministros de Moçambique aprovou novos salários mínimos, com um aumento mais baixo de 3,6% e mais alto de 7,6%, foi hoje anunciado.

subida mais pequena vai para as salinas, com aumento de 3,6%, passando a ter um ordenado mínimo de 5.759 meticais (84,7 euros), seguidas da pesca de kapenta (tipo de sardinha de água doce), 4,3%, incrementando o salário mais baixo no setor para 4.591 meticais (67,5 euros), e pesca marítima, industrial e semi-industrial, que aumenta 4,5%, passando o ordenado mais baixo para 5.820 meticais (85,6 euros).

A área de pedreiras e areeiros também recebeu uma subida de 4,5%, aumentado o salário mais baixo para 5.830 meticais (85,7 euros).

O aumento mais alto foi para a agricultura, pecuária, caça e silvicultura, que tiveram uma subida de 7,6% no ordenado mais baixo, passando para o mínimo de 5.200 meticais (76,5 euros).

Os restantes setores de atividade receberam aumentos salariais entre 4,78% e 6,94%.

Com os novos salários mínimos anunciados, o ordenado mais baixo em Moçambique é pago na pesca de kapenta, que passa a ser de 4.591 (67,5 euros) e o mais alto entre os mínimos vigora nos serviços financeiros, que está fixado em 14.340 meticais (210 euros).

Os novos ordenados têm efeito a partir de 01 de abril, refere o comunicado do Conselho de Ministros.

“Os valores percentuais aprovados pelo Conselho de Ministros, para cada setor de atividade, refletem os consensos alcançados na mesa de negociações da Comissão Consultiva do Trabalho, órgão tripartido no qual estão representados os interesses dos empregadores, trabalhadores e do Governo”, disse a nota.

O Governo sustenta que os novos ordenados traduzem o atual momento económico e social que Moçambique atravessa, caracterizado por um baixo nível de produção e de produtividade, impacto das calamidades naturais e do “terrorismo” na província de Cabo Delgado, norte do país.

Por: Lusa