Governo prepara-se para anunciar plano de apoio à retoma económica e às empresas em todas as ilhas

99

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças prometeu hoje, no Mindelo, para os “próximos dias”, o anúncio do plano de apoio à retoma económica e às empresas em todas as ilhas, que se quer “robusto e consistente”.

Olavo Correia encontra-se de visita à ilha de São Vicente com foco no sector privado, ao qual está a apresentar as medidas aprovadas no âmbito do Orçamento do Estado para o corrente ano, sobretudo no item recuperação económica.

“O importante neste contexto é criar um quadro de consenso Governo/sector privado/empresas para a implementação de um plano consistente e robusto de apoio à retoma da económica, de apoio às empresas, para que estas continuem a investir, a confiar em Cabo Verde, na ilha e também nesta região norte do País”, declarou Olavo Correia, à saída de um encontro com responsáveis da Câmara de Comércio do Barlavento (CCB).

Com ela (CCB), aliás, o ministro considerou que tem havido um “diálogo profícuo” e que neste “novo contexto e perante novos desafios” a ideia é “aprimorar” este quadro de diálogo e pôr em marcha, “no mais curto espaço de tempo possível”, um plano de retoma.

“Nos próximos dias avançaremos com a comunicação do plano ao País e queremos auscultar também a opinião das câmaras de comércio para que seja um plano do País e não apenas do Governo”, concretizou o governante, neste “contexto difícil”, prosseguiu, em que as empresas precisam de um “grande suporte” do Governo, mas também da sua própria criatividade.

Tudo isso, notou, para contornar os desafios e continuar com os investimentos, que são “fundamentais para promover a dinâmica de desenvolvimento” do País.

Por outro lado, o vice-primeiro-ministro considerou que perante os desafios da pandemia da covid-19 as empresas vão continuar a contar com o apoio financeiro do Governo para que os postos de trabalho não fiquem em causa.

“As medidas de contingência não podem continuar ‘ad eternum’, mas as empresas vão continuar a contar com o apoio do Governo no financiamento, prorrogação de prazos de pagamento e apoio à tesouraria para continuarem a manter os postos de trabalho”, concretizou Olavo Correia.

“Claro que perante este novo contexto e a continuação deste desafio, temos que ajustar as medidas e é sobre isso que vamos conversar com as câmaras de comércio para que o País possa pôr em marcha um conjunto de medidas de apoio à retoma, medidas efectivas de apoio à retoma económica, mas discutidas com as câmaras de comércio, parceiras por excelência do Governo”, finalizou o ministro das Finanças.

Por: Inforpress