Ilha do Fogo: Governo limita a um máximo de mil pessoas em Chã das Caldeiras

765

A localidade de Chã das Caldeiras, na ilha do Fogo, vai ter um Plano de Emergência, cujo ordenamento prevê a construção de mais 50 casas e limita o máximo de mil pessoas a viver na cratera do vulcão.

A proposta do plano foi apresentada ontem, terça-feira, em São Filipe, pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, mais de dois anos após o fim da erupção vulcânica na ilha do Fogo, que desalojou cerca de 1.500 pessoas de duas localidades próximas.

Com previsão para ser implementado dentro de seis meses, o plano prevê ainda a construção de outras infraestruturas, como escolas, jardins infantis, posto policial, delegação municipal, bem como o edifício da sede do Parque Natural, que também foi destruído pelas lavas.

Além da área para novas construções, o plano define ainda espaços para prática de agricultura, rede viária, entre outras informações úteis para o ordenamento de Chã das Caldeiras, que fica a cerca de dois mil metros de altitude e com o único vulcão activo do arquipélago.

Durante a apresentação do plano, o chefe do Governo cabo-verdiano disse que este é o momento para tomar todas as decisões naquela localidade na ilha do Fogo.

O plano de emergência para Chã das Caldeiras foi elaborado por uma equipa multidisciplinar de várias instituições cabo-verdianas, em parceria com técnicos das Canárias.

O documento vai estar em consulta pública até 15 de maio nos Paços do Concelho de Santa Catarina do Fogo e no Ministério das Infraestruturas, na cidade da Praia, para recolha de subsídios.

Fonte: Lusa