Importações aumentam e exportações diminuem face ao ano anterior

555

Cabo Verde registou em 2016 um aumento nas importações de 10,5% e uma diminuição tanto nas exportações (-10,3%) como nas reexportações (-18,4%) face ao ano anterior.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), no mesmo ano, o déficit da balança comercial aumentou (13,1%) e a taxa de cobertura deteriorou (- 18,1%), face ao ano anterior.

Os países da Europa, nomeadamente a Espanha, apesar de ter diminuído a importação de 3,5 pontos percentuais (p.p.), afirma a mesma fonte, lidera no ranking dos principais clientes de Cabo Verde, representando 72,5% do total das exportações em 2016. As exportações para esse ano tiveram uma evolução negativa de -5,7%, comparativamente a 2015.

Já para Portugal, teve uma evolução positiva de (21,9%) em relação ao ano 2015, aparece em segundo lugar na estrutura das exportações de Cabo Verde com (19,2%).

De entre os produtos mais exportados por Cabo Verde em 2016 estão preparados e conservas de peixes representando (43,0%) do total das exportações e os peixes, crustáceos e moluscos (38,2%) que se posicionam em segundo lugar.

Os vestuários e bebidas alcoólicas, evoluíram negativamente, face ao ano anterior, com destaque para os peixes, crustáceos e moluscos (-22,6%).

As importações de Cabo Verde, em 2016, aumentaram 10,5% face ao ano anterior.

De acordo com os resultados do INE, o continente europeu continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 79,0% do montante total das importações (contra 75,8% do ano anterior).

Ainda informa que somente a África e a Europa que viram as suas exportações aumentarem para Cabo Verde, 61,4% e 15,2% respetivamente. Os continentes da América (-15,5%) e da Ásia (-13,2%) evoluíram negativamente.

Portugal, diz a estatística, que continua sendo o maior fornecedor de Cabo Verde, com 46,5% do total das importações cabo-verdianas. A Espanha ocupa o segundo lugar na estrutura das importações de Cabo Verde com 11,3% (4,0 p.p. a mais do que no ano anterior).

Países Baixos, China, Brasil, Estados Unidos e Tailândia, viram o montante das suas exportações para Cabo Verde, diminuir, comparativamente ao ano anterior, com a excepção da Bélgica.

O peso dos principais produtos importados, em 2016, representa 57,4% do montante total das importações desse ano (contra os 60,3% alcançados por esses mesmos produtos no período anterior).

Constata-se que, arroz (-25,5%), combustíveis (-23,9%), e leite (-6,7%) registaram as diminuições mais acentuadas, face ao ano de 2015. Relativamente aos produtos que tiveram evolução positiva, o destaque vai para os Veículos automóveis (36,2%) e matérias têxteis (28,6%).

Relativamente às importações por grandes categorias de bens, destacam-se a queda registada nos combustíveis (-23,9%). Todos os outros bens tiveram uma evolução positiva, principalmente, os bens intermédios (20,0%), bens de consumo (14,9%) e bens de capital (7,2%) entre 2015 e 2016.

Em termos de peso na estrutura das importações cabo-verdianas, os bens de consumo ocupam a primeira posição com 45,3% do total, na segunda posição vêm os bens intermédios com 33,4%, a seguir os bens de capital (12,4%) e por último os Combustíveis com 8,8% do total das importações, no período em análise.

Fonte: Inforpress