Ivan Almeida: Não vou voltar para Cabo Verde e ser a pessoa que poderá levar o Covid-19

13515

O Treviso, da primeira divisão italiana de basquetebol, autorizou Issac Fotu, Aleksej Nikolic e Ivan Almeida a regressarem aos seus respectivos países.

Issac voltou para a Nova Zelandia e Aleksej para a Eslovenia, mas Ivan Almeida optou por permanecer na Itália, mesmo sendo este o país europeu com mais mortes devido ao Covid-19.

O internacional cabo-verdiano utilizou o Twitter explicando que é um pouco tarde e que vai permanecer na Itália. “A hora de regressar a casa era há duas semanas. Agora não. Não serei a pessoa que poderá levar o vírus para Cabo Verde, se o pegar durante a viagem de regresso”, escreveu Ivan Almeida.

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já causou mais de 6400 mortes em todo o mundo.

O número de infetados acerca-se de 164 mil, com casos registados em pelo menos 141 países e territórios. Do total de infetados, mais de 75 mil recuperaram.

O epicentro da pandemia provocada pelo SARS-CoV-2 deslocou-se da China para a Europa, onde se situa o segundo caso mais grave, Itália, que anunciou no domingo 368 novos casos mortais, para um total de 1809 vítimas.