O basquetebolista Ivan Almeida, do Benfica, denunciou nesta sexta-feira ter sofrido racismo durante jogo frente ao FC Porto, para final do campeonato. 

A denuncia do atleta foi feita nas suas redes sociais, que criticou a liga portuguesa de basquetebol, o seu clube, Benfica, e o adversário.

Eis o comunicado na integra:

“Os que calaram perante isto, e já passaram isto por baixo do tapete como poeira também contribuem para o racismo.
Nem a Federação Portuguesa de Basquetebol nem o meu clube Benfica e nem o FC Porto se pronunciaram sobre o sucedido no Dragão Caixa. (“Preto, macaco volta para a tua terra.”)
O silêncio também é racismo.
 
E sei que vem para aqui muita gente dizer para mostrar dentro do campo, para não ligar, que as pessoas são estúpidas e que outras não sabem o qu dizem. Outros vão dizer não há racismo em Portugal e que estou a fazer de vítima. Digo vos também que por baixo deste atleta profissional africano tem um ser humano como todos.
 
Na Nha costa tem xicotada di brankus, tem marcas ki tá fika pá sempri, tem um povu, um istoria e um nasson cheio di lágrimas. Nha costa també é largo e n tá bem supera tudu xicotada kin toma na nah caminho.
 
Moda Nha mano Edyoung dja fla flaba um bes na RTP “… mas ki Kabuverdiano, um Afrikanu, mi é ser humano. Ser Universal, sem ser di qualquer lugar, mi é ser humanu. Mi é di qualquer parti, parti di qualquer povu,di um povu sem Frontera. NUNCA N ODJA DIFERENCA NA COR. pa mi vermelho també é sperança e verdi poda ser guerra. N TA REPRESENTA UM COR DI SANGUI E NUNCA UM COR DI PELI … mi é pretu di Berlin, i branku do Nova Deli… AMOR ANTIS DI TUDO PAMODI DEUS É AMOR E AMOR É NHA RELIGION…””