Jordin Andrade recolhe donativos desportivos nos EUA para crianças cabo-verdianas

165

O atleta olímpico cabo-verdiano Jordin Andrade lançou uma campanha de recolha de donativos desportivos nos Estados Unidos, país onde reside, em benefício das crianças em Cabo Verde, para serem doadas após os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

O atleta, que vai representar Cabo Verde, pela segunda vez nos Jogos Olímpicos, na prova dos 400 metros barreiras, qualificação alcançada pela regra da universalidade (ranking), pretende arrecadar, sobretudo sapatilhas, por forma a compensar um problema detectado numa primeira doação realizada ano anterior.

“Há algo que eu queria fazer há algum tempo, mas preciso da ajuda de todos. Da última vez que fui a Cabo Verde reuni o máximo de roupa e equipamento de desporto de mim e de todos os meus companheiros de equipa e entreguei-os em mão aos miúdos e pais da Brava no dia olímpico. Foi uma grande participação e experiência que quero continuar a fazer!” postou na sua rede social.

Cabo Verde conta com seis atletas nos Jogos olímpicos de Tóquio’2020, já que para além de David de Pina, o país vai estar representado  pelo atleta Jordin Andrade (EUA) nos 400 metros barreiras pela regra da universalidade (ranking), pela ginasta Márcia Lopes (Portugal) através do Wild Card (Comissão Tripartida de Convites).

Os irmãos nadadores residentes nos Estados Unidos da América Troy Pina e Jayla Pina (EUA) e a judoca Sandrine Billiet (Bélgica) têm apuramento qualificados por quota continental (ranking continental).

A nível paralímpico, Marilson Semedo tem assegurado a qualificação na disciplina do lançamento de dardo.

Por: Inforpress