Legislativas 2021: Um total de 597 cidadãos concorre ao cargo de deputado em Cabo Verde

440

Um total de 597 cidadãos concorre ao cargo de deputado nas eleições legislativas de 18 de Abril em Cabo Verde, para as quais são chamados às urnas 393.166 eleitores, sendo 340.582 residente no país e 52.584 no estrangeiro.

Os dados foram apresentados ontem pela presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Maria do Rosário Gonçalves, durante a cerimónia de entrega de “Fac Simile”, ou seja, reprodução do original dos boletins de votos para cada círculo eleitoral.

De acordo com Maria do Rosário Gonçalves, dos 597 concorrentes ao cargo, 307 são do sexo masculino, correspondente a 51,42%, e 290 são do sexo feminino, representando 48,58%.

Em termos de mesas de voto estão previstas um total de 1.245 mesas para o território nacional e 246 para diáspora, totalizando 1.491 mesas de voto.

Neste momento decorre o processo para o voto antecipado e está em curso a produção dos boletins de voto, a geração dos cadernos eleitorais e a definição do funcionamento das mesas e a designação e formação dos membros de mesa.

Às 00:00 desta quinta-feira, 01 de Abril, arranca a campanha eleitoral para as eleições legislativas de 18 de Abril, tendo em vista a eleição dos 72 deputados à Assembleia Nacional de Cabo Verde.

A presidente Maria do Rosário Gonçalves pediu que os candidatos e os partidos políticos priorizem a saúde dos cabo-verdianos durante a campanha eleitoral, salientando também que a postura dos cidadãos será também um elemento diferenciador e determinante para o sucesso do processo eleitoral em curso e também no desiderato da luta contra a propagação do vírus e o surgimento de novos contágios com o vírus da covid-19.

“Consideramos que é importante que os cidadãos evitem eventos com aglomerações. Devem utilizar sempre as máscaras de protecção facial e fazer higienização frequente das mãos enquanto estiverem em contactos de risco com outras pessoas”, recomendou.

No que concerne aos candidatos, adiantou que os mesmos são cidadãos cabo-verdianos que querem fazer parte do grupo de domínio democraticamente eleito pelo povo e com base nisso dirigir o destino do país nos próximos cinco anos.

Pelo simples facto desses candidatos almejarem dirigir os destinos dos cabo-verdianos e do país, considera que é “motivo suficiente” para que a saúde e o bem-estar dos cabo-verdianos estejam nos próximos 16 dias na primeira prioridade dos candidatos.

“Nós contamos que da parte dos partidos políticos haverá medidas e estruturas internas do partido para fazer face aos desafios da covid durante o processo eleitoral. É necessário preservar os cabo-verdianos, é necessário preservar a saúde dos cabo-verdianos e nós contamos que nos 16 dias de campanha eleitoral isto irá acontecer”, realçou. 

A CNE, acrescentou, espera que a campanha decorra da melhor forma e que seja um debate democrático, com base nas ideias, com respeito ao bom nome, integridade física e moral e com respeito pela diferença e tolerância.

O desejo é que, salientou, ainda seja desenvolvida uma campanha cívica esclarecedora e que tenha como objectivo único e exclusivo dar elementos aos cabo-verdianos para que no dia 18 de Abril escolham com confiança e de forma consciente aqueles que serão os cidadãos que irão integrar o grupo dos políticos que irá dirigir o país.

Da parte da CNE, afirmou que a instituição está e que vai continuar a trabalhar para garantir aos cabo-verdianos um processo que seja “transparente e credível”.

Seis partidos concorrem às eleições legislativas de 18 de Abril. O MpD, o PAICV e a UCID em todos os círculos eleitorais. O Partido Popular (PP) e o Partido do Trabalho e Solidariedade (PTS) em seis círculos e o Partido Social Democrático (PSD) em quatro.

Por: Inforpress