LIGOC-SV volta a apelar à “calma e ao diálogo a bem” do Carnaval em São Vicente

23

A direcção da Liga Independente dos Grupos Oficiais do Carnaval de São Vicente (LIGOC-SV) apelou ontem à “calma, serenidade e diálogo” de todos os intervenientes no certame, na sequência das polémicas sobre o desfile de 2019.

Numa conferência de imprensa, que durou perto de hora e meia e na qual a liga se fez representar por elementos dos seus diversos órgãos dos grupos oficiais, à excepção do grupo Vindos do Oriente, em rota de colisão com a LIGOC-SV, Marco Bento, presidente da direcção executiva, e António Duarte, do conselho deliberativo, foram os porta-vozes.

Porém, na sala da conferência de imprensa encontrava-se, no início, o vice-presidente do Grupo Estrelas do Mar, Papi Tavares, que foi convidado por Marco Bento a deixar a sala, uma vez que a conserva seria com jornalistas, ao que ele anuiu, mas argumentado que o anúncio na página da LIGOC-SV no Facebook referia-se a um “convite a todos a contribuir” porque a liga estaria disponível para “responder a algumas questões que estão sendo feitas nas redes sociais”.

Sanado este episódio, e após um breve historial sobre o surgimento da LIGOC-SV, “um trabalho que durou 66 semanas” até a legalização, em Julho, segundo a mesma fonte, a conversa derivou para a polémica da inscrição do Grupo Estrelas do Mar e das condições para realizar o seu desfile.

“Faltam documentos para inscrição do grupo na liga, mas sobre o desfile temos que obedecer ao regulamento”, lançou Marco Bento, para quem o Grupo Estrelas do Mar, ao invés de “optar pelo diálogo” com a liga, decidiu tratar o assunto nas redes sociais e na comunicação social.

No entanto, foi avançando que está prevista uma reunião com os responsáveis deste grupo esta quarta-feira e que o princípio da LIGOC-SV é a “busca do consenso, sempre”.

“Vamos a tempo de resolver os diferendos, desde que sejamos capazes de aproximar as posições”, concretizou.

A outra polémica que se encontra latente no Carnaval do Mindelo relaciona-se com o Grupo Vindos do Oriente, bicampeão em título, que esta semana, também em conferência de imprensa, ameaçou ficar fora do desfilar, em 2019, por discordar de “decisões administrativas” da LIGOC-SV, do novo trajecto e horário proposto para o desfile e ainda do novo estatuto, que classificou de “adaptado de fora, com ligeiras correcções”.

António Duarte, em resposta, lembrou que Vindos do Oriente tem assento no conselho deliberativo, participou “activamente” na elaboração e votou favoravelmente o regulamento e estatuto, pelo que a LIGOC-SV estranha a postura do grupo, que não se aproximou da liga para colocar as suas discordâncias.

“Cada um é responsável pelas posições que assume, mas a liga não pode ser pressionada por um grupo de forma ilegítima, fora do quadro do diálogo interno na LIGOC-SV”, precisou a mesma fonte, que reforçou que até hoje a liga “não recebeu qualquer comunicação oficial” do Vindos do Oriente sobre sua participação ou não no desfile de 05 de Março.

Questionado se admite um desfile com apenas três grupos, caso “Vindos do Oriente” mantiver a posição de ficar de fora, o presidente da direcção da liga, Marco Bento, respondeu que a “situação não se coloca” porque “ainda não recebeu nada oficial do grupo”, mas que da parte da LIGOG-SV existe “abertura para o diálogo” com os bicampeões do Carnaval do Mindelo.

Por: Inforpress