Museu do Tarrafal de Santiago foi o mais visitado em 2018

215

O Museu da Resistência, antigo Campo de Concentração do Tarrafal, na ilha de Santiago, foi o museu cabo-verdiano mais visitado em 2018, com quase metade do total das visitas registadas, segundo o Instituto do Património Cultural (IPC).

«Entre os 22.096 visitantes que estiveram nos museus cabo-verdianos no ano passado, contaram-se turistas nacionais e estrangeiros, alunos do ensino básico ao universitário e delegações várias», prossegue o IPC.

Este organismo do Ministério da Cultura e Indústrias Criativas refere que o Museu da Resistência foi o que registou maior afluência (9000 visitantes), em contraste com o Núcleo Museológico Cesária Évora, que teve o menor número de visitas (660).

O Museu de Arqueologia recebeu 2127 visitantes, 4300 visitaram o Museu Etnográfico da Praia, 1600 optaram pelo Museu do Sal, 2429 escolheram o Museu do Mar e 1980 o Museu da Tabanka.

O IPC ressalva que os turistas estrangeiros são os que mais visitam os museus cabo-verdianos, embora se registe um «aumento gradual» de visitantes nacionais.

Estes dados referem-se aos museus geridos pelo IPC: Museu Etnográfico da Praia, Museu de Arqueologia, Museu da Resistência, Museu da Tabanca e Núcleo Museológico Cesária Évora, na ilha de Santiago, Museu do Sal (Sal) e Museu do Mar (São Vicente).

Em 2018, o número de visitantes representou um «crescimento significativo em relação ao anterior», segundo o IPC, que não avançou com o número de visitas registado em 2017.

Por: Lusa