Nesta quinta-feira, Cabo Verde e outros 126 países votaram a favor da resolução das Nações Unidas, condenando o reconhecimento por Washington de Jerusalém como a capital de Israel.

O presidente da Assembleia Geral da ONU, Miroslav Lajcak, anunciou o resultado da resolução que teve 128 votos a favor, nove contra e 35 abstenções.

Dos países de língua portuguesa, Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal votaram a favor do documento. Já Guiné-Bissau, Timor-Leste e São Tomé e Príncipe não participaram no ato.

Votaram contra a resolução Estados Unidos, Guatemala, Honduras, Togo, Palau, Nauru, Ilhas Marshall, Micronésia e Israel.

A Assembleia Geral adotou uma resolução exigindo aos Estados-membros que cumpram as decisões do Conselho de Segurança sobre a Cidade Sagrada de Jerusalém e não reconheçam acções ou medidas que as contrariem.

A sessão especial de emergência desta quinta-feira seguiu-se à decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

O documento sublinha que “quaisquer decisões e acções para o propósito de se alterar o carácter, o estatuto ou a composição demográfica da Cidade Sagrada de Jerusalém não têm efeito legal, são nulas e devem ser revogadas”.

O apelo aos Estados-Membros é que “se abstenham de estabelecer missões diplomáticas em Jerusalém”, de acordo com a resolução.

Lembrando que horas antes o presidente dos Estados Unidos da America, Donald Trump, tinha ameaçado cortar o apoio financeiro dos Estados Unidos aos países que votarem a favor de uma resolução das Nações Unidas 

Donald Trump ameaça cortar ajuda a quem votar contra os EUA na ONU

Fonte: Rádio ONU