PM crente que Cabo Verde está a entrar na fase “descendente da pandemia mesmo com a Ómicron

252

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse hoje acreditar que a pandemia de covid-19 está a entrar numa fase descendente, mesmo com a confirmação da variante Ómicron e aumento “considerável” dos casos nos últimos dias em Cabo Verde.

O chefe do Governo, que falava aos jornalistas depois de ter apresentado os habituais comprimentos de ano novo ao Presidente da República, disse que o comportamento da infecção e do coronavírus dos últimos tempos tem demonstrado que Cabo Verde já estava com Ómicron.

“Faltava apenas a confirmação através de laboratórios. Já temos essa confirmação. Mas o comportamento do vírus e desta variante tem demonstrado que afecta muito mais gente e com muito mais rapidez, mas com menos impactos na saúde.

Questionado se com essa nova variante o País, que já tinha entrado numa fase de retoma económica, vai continuar com as medidas de apoio às empresas, nomeadamente o lay-off, suspenso a 31 de Dezembro, Ulisses Correia e Silva mostrou-se optimista em como essa variante não vai influenciar a retoma.

“A variante Ómicron não vai influenciar. Estamos em crer que estamos a entrar numa fase descendente da pandemia. Nós já temos as medidas de proteccão previstas no Orçamento de Estado. Não vemos uma relação entre a variante e aquilo que vai ser a conjuntura em 2022. Tudo aponta que poderemos estar numa fase decrescente da pandemia e isto é bom para Cabo Verde, para o mundo”, disse.

Nos últimos dias, Cabo Verde registou um aumento “considerável” de números de casos de covid-19, com a última actualização a registar mais 1.025 casos de infecção por SARS-CoV-2 e mais dois óbitos, tendo aumentado para 5.568 o número total de casos activos, conforme revelou o Ministério da Saúde.

Esta quarta-feira, juntamente com o Presidente da República, José Maria Neves, farão uma comunicação ao País para falar da situação a nível nacional.

Ulisses Correia e Silva lembrou que o arquipélago já vai com quase dois anos de pandemia com todas as consequências de uma pandemia que está a provocar crises económica, social e sanitária.

“Nós confiamos seguramente que estaremos na fase de viragem e irá permitir que Cabo Verde possa voltar a crescer e criar rendimento e voltar à normalidade da vida social”, sustentou.

Com a actualização dos dados hoje, Cabo Verde passou a contabilizar 5.568 casos activos 38.643 casos recuperados, 354 óbitos, 18 óbitos por outras causas e nove transferidos, perfazendo um total de 44.592 casos positivos acumulados.

Por: Inforpress