PnC (Rapaz 100 Juiz) : “Estamos há 8 anos a alertar o povo da falta de amor dos políticos para o país”

1224

Quem acompanha o grupo de Hip Hop, os ‘Rapaz 100 Juiz’, e presta atenção nas suas letras com certeza repara que o grupo alerta para problemas sociais e problemas políticos em Cabo Verde.

No dia 27 de Março, depois de na mesma semana os deputados terem aprovado o Novo Estatuto de Cargos Políticos, decorreu uma pequena manifestação em frente a Assembleia Nacional. O grupo que organizou tal manifestação, MAC #114, fez mais uma manifestação onde esta, em todo o país, colocou cerca de 5.000 pessoas nas ruas.

No dia 09 de Abril o Presidente da Republica, Jorge Carlos Fonseca, vetou o diploma e isto foi considerado uma vitoria para o povo cabo-verdiano.

Mais do que uma vitoria do povo cabo-verdiano esta foi uma vitoria do grupo Rapaz 100 Juiz. Péricles da Costa, de nome artístico PnC aceitou ser dar uma entrevista ao DTudo1Pouco para falar sobre as musicas do grupo e o momento politico em que passa Cabo Verde.

Foto: Décio Barros

DTudo1Pouco: Uma pessoa atenta consegue perceber que algumas musicas dos Rapaz 100 Juiz serviram de alerta para algumas situações que passavam e passam no país. Principalmente a nível politico. Há quanto tempo esta os Rapaz 100 Juiz a alertar o povo para estas situações?

PnC: Já há 8 anos, com 5 mixtapes e 2 álbuns tentando alertar o povo, da falta de amor dos políticos para o país.

DTudo1Pouco: Nestes álbuns e nos mixtapes do grupo há sempre uma mensagem a alertar o povo sobre os políticos e os “engravatados”. Acha que o povo tem percebido isso?

PnC: O nosso grupo sempre teve o objectivo de denunciar e combater os males socias, incentivar o povo a exercer a sua cidadania e contribuir para um Cabo Verde melhor. Batemos na mesma tecla por muito tempo porque o povo parecia estar adormecido, mas ficou provado que o povo estava a observar e acumular para transbordar, e transbordou em 2015 perante muita falta de vergonha, muita corrupção traduzida em investimento no país, criação de elites contribuindo para a forte diferença social e consequentemente muita falta de segurança no país.

Depois de muito trabalho não só na musica de intervenção mas também com muito trabalho nas comunidades por parte de sociólogos e associações comunitárias e também universidades contribuiu para o povo acordar.

DTudo1Pouco: O primeiro CD teve o nome de ‘Claridade’ e aí era um alerta para muitos problemas da sociedade certo?

PnC: O nosso primeiro álbum foi inspirado na revista Claridade de 1936, que usava a revista para denunciar problemas que Cabo Verde e cabo-verdianos enfrentavam na aquela época, e começamos a escrever os problemas que enfrentávamos em 2010.

[vsw id=”ThVwIgvDe2c” source=”youtube” width=”425″ height=”344″]

DTudo1Pouco: Algo, escrito nas músicas do CD Claridade, melhorou depois disso?

PnC: A sociedade não consegue mudar muito em 4 anos, mas melhor um pouco e outros problemas surgiram.

DTudo1Pouco: Depois do ‘Claridade’ veio o ‘Voz di Vozis’. A foto de capa do CD mostra alguém de fato e gravata a tapar a boca dos dois elementos do grupo, PnC e CmC. Porque o nome a este CD e porque desta capa do CD?

PnC: Depois de ‘Claridade’ houve muita tentativa de censura e de varias formas, por isso queríamos demonstrar as situações que estávamos a passar por causa das nossa musicas e fazer o povo reflectir sobre a liberdade de expressão. E quanto ao nome, ‘Voz di Vozis’, porque depois de muita observação o álbum trouxe vozes da sociedade num disco, por isso denominamos esse disco de ‘Voz de Vozis, voz de muitas verdades.

DTudo1Pouco: Os Rapaz 100 Juiz já receberam represarias ou ameaças a nível politico devido as letras das musicas?

PnC: Todos os dias de forma directa e indirecta, e hoje em dia é mais fácil o grupo actuar em espectáculos privados do que em festivais organizados por câmaras municipais, e assim recebemos represarias.

[vsw id=”drHCTZTJgeo” source=”youtube” width=”425″ height=”344″]

DTudo1Pouco: O que sentiu quando escrevia, gravava e mesmo ao fazer o vídeo da musica Karta pa Cabral?

PnC: Ao escrever Karta pa Cabral sentíamos uma revolta, por causa de tanta hipocrisia por parte dos políticos, tanto sofrimento do povo e muito silêncio do povo e queríamos fazer um vídeo que chamasse atenção a censura porque logo após o lançamento do álbum começaram a nos censurar, e também muitas vezes o povo censura a si mesmo porque o silencio é uma censura.

DTudo1Pouco: Na música Karta pa Cabral, quem é o verdadeiro Cabral da qual vocês querem que leia (oiça) a carta (a musica)?

PnC: CADA 1 DE NOS É 1 CABRAL by Norberto Tavares.

DTudo1Pouco: Quando viu cerca de 5.000 pessoas nas ruas por causa da manifestação no dia 30 de Março sentiu algo do tipo “ufa, as pessoas já começaram a entender algumas letras das nossas músicas”. Ou seja, dever cumprido? Pergunto isto porque algumas músicas são alertas para o povo em relação aos políticos.

PnC: Exatamente, senti feliz porque o povo deu sinal de vida e usufruiu da democracia, dever comprido ainda não foi apenas um passo grande, agora todos têm de saber que a Democracia vai muito alem do voto.

DTudo1Pouco: Estives-te nas duas manifestações?

PnC: Estive em todas as manifestações, nos dias 27 e 30 de Março, não como um artista mas sim como um cidadão.

DTudo1Pouco: Se fosses convidado a integrar o MAC #114 aceitarias?

PnC: Sem desrespeitar, gostei muito do MAC e como organizou a manifestação, mas não entraria. Participei num trabalho de alertar e tentar acordar o povo, agora muitos acordaram gostaria de continuar a fazer o mesmo trabalho, e ver o meu povo a caminhar para a mudança.

DTudo1Pouco: Os cabo-verdianos tem memoria fraco ou seja, em 2016, por altura das eleições será que o povo vai esquecer destes últimos acontecimentos políticos?

PnC: Muita coisa mudou agora é esperar para ver.

 

DTudo1Pouco: Os Rapaz 100 juiz são a Voz de Cabo Verde?

PnC: Somos uma das vozes de Cabo verde.

 

Bruno da Moura