Portugal: Roubado dinheiro angariado para a família do cabo-verdiano Alcindo Monteiro em evento

749

Evento cultural contou com a transmissão do filme ‘ALCINDO’ e o dinheiro angariado era destinado à família de Alcindo Monteiro.

Sociedade Musical União Paredense (SMUP) e a Associação Cultura no Muro (ACM) denunciaram, esta segunda-feira, que as instalações da SMUP foram assaltadas, tendo sido levado o dinheiro angariado num evento promovido no dia 12 de março, em Carcavelos, que seria destinado à família de Alcindo Monteiro, assassinado por um grupo de supremacistas em 1995. 

“Há uma semana atrás, através de um evento da ACM, enchemos a SMUP e os nossos corações. A partir do filme Alcindo, ao qual se uniu a música, um jantar solidário, muitas bancas e conversas, dedicando este dia ao Racismo”, começa por referir uma nota partilhada no Instagram.

“Ainda não tínhamos recuperado de todas as emoções de sábado, quando soubemos que a SMUP, a nossa casa, tinha sido assaltada. O assalto decorreu na madrugada de domingo. Os responsáveis entraram no edifício e não houve local que não fosse vasculhado, todas as portas foram forçadas e abertas, bem como todos os armários dentro de cada divisão”, denunciam.

A nota recorda que o evento, promovido pela ACM, teve “como propósito angariar fundos para a viagem da família do Alcindo a Cabo Verde, para a projeção do filme”. Contudo, apesar da noite de “sucesso”, tudo “desapareceu”. 

“Esta invasão concretizou-se num prejuízo muito grande, entre roubo de dinheiro e material informático, e perante este cenário tanto a SMUP como a ACM ficam fortemente prejudicadas”, lê-se.

A SMUP destaca que se caracteriza “pela verdadeira democracia cultural e pela inclusão”, expressando, por isso, um “sentimento de revolta”, que contraria as premissas e valores que a sociedade defende. 

“Ainda nos estamos a reorganizar e a refazer do choque”, destaca o comunicado que agradece o apoio demonstrado e que revela que, em breve, será anunciada a data de uma nova noite solidária.

Sublinhe-se que o evento cultural contou com a apresentação do documentário ‘ALCINDO’, de Miguel Dores, e contou depois com uma conversa entre o diretor, a fundadora da Associação de Mulheres Negras, Africanas e Afrodescendentes em Portugal, Lúcia Furtado, e com Susana Costa, da SOS Racismo. Seguiram-se ainda alguns concertos. A organização destacou, ao anunciar o evento, que todos os lucros angariados seriam revertidos à família de Alcindo Monteiro.

Por: Noticias ao Minuto