O primeiro recenseamento geral do desporto (RGD) arrancou oficialmente hoje, em todo o território nacional, para a recolha de dados que permitam traçar políticas publicas para o desenvolvimento do desporto em Cabo Verde.

O presidente do Instituto do Desporto e da Juventude (IDJ), Frederic Mbassa, apelou à participação de todos neste processo que é o primeiro censo do desporto com abrangência nacional e considerou importante “que todos participem neste processo, porque é a primeira vez que se faz um censo desta magnitude”.

O presidente do IDJ destacou o facto de este censo ser financiado pelo Banco Mundial o que, em seu entender, demonstra a importância que essa instituição atribui ao desporto que, segundo a UNESCO e o Unicef, citados por Frederic Mbassa, “é um dos melhores mecanismos de inclusão social e de consolidação do projecto educativo”.

“Apelamos para que haja uma participação em massa e que consigamos apoiar-nos uns aos outros, ou seja, apoiar a instituições públicas na evolução e desenvolvimento do nosso desporto”, assinalou Mbassa, adiantando que este RGD servirá para que o país possa dispor de uma plataforma de base digital com todos os dados oficiais e que desembocará nos instrumentos principais que se quer e possa potenciar a política nacional do desenvolvimento desportivo no horizonte 2022/2026.

Este primeiro censo do desporto tem abrangência nacional e pretende, através de um inquérito sobre uma amostra de 6.740 agregados familiares, recolher dados sobre a prática do desporto, a procura do desporto, perfil dos praticantes, e outros.

Segundo o IDJ, em traços gerais, o que se quer é saber tudo sobre o movimento desportivo e associativo em Cabo Verde, saber quantos atletas, que atletas, que modalidades, treinadores, monitores, nível dos treinadores, árbitro, juízes e oficiais de mesa.

“Queremos saber a nível do desporto escolar qual a dinâmica e a amplitude, a nível do desporto militar, sobre as nossas infra-estruturas detalhadamente, o fluxo financeiro do desporto a nível nacional e público. Ou seja, todas as informações possíveis do desporto em Cabo Verde, para que possamos aqui realmente traçar políticas publicas de desenvolvimento desportivo”, explicou Frederic Mbassa.

A nível do domicílio, o Instituto do Desporto e da Juventude quer perceber o perfil dessas famílias em termos da prática da actividade física, a regularidade, quanto gastam para praticar a actividade física, se estão contentes com as infra-estruturas desportivas e o que pensam em como desenvolver e massificar a actividade física em Cabo Verde.

“Nós sabemos que temos 35,3 por cento (%) da população cabo-verdiana que pratica e consome o desporto, mas queremos alargar ainda mais esta base e para que passamos alargar esta base é preciso conhecê-la”, justificou.

O acto oficial que marcou o início da recolha de dados para o primeiro censo do desporto teve lugar no Pavilhão Desportivo Vavá Duarte, na Cidade da Praia.

Depois de recolher todos os dados, estes serão compilados na Carta Desportiva Nacional exigida pelo artigo 54 da lei de base, que diz que tem de haver uma Carta Desportiva Nacional, actualizada permanentemente, com base no sistema estatístico nacional.

A recolha de dados terá a duração de um mês e contará com 78 agentes, entre inquiridores e supervisores, devidamente credenciados.

Por: Inforpress