Rui Águas: Espero que possa haver alguma tolerância do governo tendo em conta o que representa a nossa seleção para o povo cabo-verdiano

666

Entrevista do selecionador nacional, Rui Águas, ao site Noticias do Norte, da qual transcrevemos na intriga. 

O selecionador nacional de futebol, Rui Águas, explica opções nos convocados e expectativas para os duelos frente aos Camarões e Moçambique, para a fase de qualificação para o CAN 2021.

Notícias do Norte– Na sequência do lançamento oficial da convocatória, vê-se algumas caras novas, desde já a começarmos pelos dois atletas residentes, o Ken que é já bem conhecido por si e o Jacknik que é uma estreia. Acredita que possam trazer algo novo a seleção principal?

Rui Águas– São dois jogadores de qualidade que vêm para ajudar. São também premiados pelo bom trabalho desenvolvido na seleção de residentes.

NN– Tem havido alguma contestação dos adeptos sobre à não chamada por exemplo de Lisandro Semedo, Kenny Rocha, Vagner Dias e Hildeberto Tavares. Sobre isso qual é a sua convicção?

RA– A convicção que a maioria desses jogadores e outros, tal como Roberto Lopes por exemplo, seriam convocados, caso a respetiva documentação estivesse completa. Aproveito para transmitir que eu e a nossa equipa técnica fazemos o nosso trabalho de observação e análise com o máximo rigor. Essa realidade não impede, claro, que se respeitem opiniões alheias, embora já agora deva confessar, por ser verdade, que não frequento redes sociais.

NN– Acredita que estão reunidas todas as condições para abordarmos da melhor forma possível o apuramento para o CAN 2021, o que passa por vencer estes dois jogos?

RA– São dois jogos muito diferentes. O primeiro contra uma potência do futebol africano e o segundo face a um adversário direto. Tentaremos fazer o melhor e somar pontos em ambos os confrontos.

NN– Disse, recentemente, que jogar às segundas-feiras seria um problema no sentido de levar adeptos para o estádio principalmente no jogo em casa. Acha que isto poderá ser um entrave para o desempenho da seleção?

RA– Espero que possa haver alguma tolerância do governo, tendo em conta o que representa a nossa seleção para o povo cabo-verdiano e a importância do apoio dos nossos adeptos. O confronto com Moçambique pode ser determinante nas contas finais do apuramento.

NN– Apresentou um leque de avançados experientes, e que tem feito mossa nos seus clubes, como são os exemplos de Zé Luís e Ricardo Gomes, que iniciaram a época com muitos golos. Acredita que a mais-valia na frente de ataque será determinante nestes dois jogos?

RA– Temos de facto um excelente grupo de avançados. No entanto a produção de qualquer equipa depende essencialmente do coletivismo que faça realçar os valores individuais que temos.

Cabo Verde que está no Grupo F de apuramento para a Copa de África das Nações 2021, enfrenta Camarões, quarta-feira (13) a partir das 15 horas no Estádio Omnisport Ahmadou Ahidjo em Yaoundé.

Cinco dias depois e no mesmo horário, a seleção nacional recebe Moçambique no Estádio Nacional, na Praia.

Por: Noticias do Norte