Sara Tavares quer pedido de desculpas devido a um comentário de teor racista

198

Sara Tavares viveu um momento verdadeiramente incómodo enquanto convidada do programa ‘Cá por Casa’, da RTP, apresentado por Herman José.

Depois de terminar uma conversa em que falava com a artista sobre o facto de Portugal não ser um país racista, o apresentador resolveu questionar outra das suas convidadas, no caso Margarida Rebelo Pinto, com a seguinte pergunta: “Já tiveste algum amor colorido?”

“Não, não sou dada às etnias”, respondeu a escritora provocando a gargalhada geral, com a excepção de Sara Tavares que, como seria de esperar, não viu o comentário com graça.

Depois de, aparentemente, ter sido confrontada pelos seus seguidores com o facto de não ter reagido ao que se passou no programa da RTP, a cantora recorreu às suas redes sociais para falar sobre o momento, que descreve como “surreal” e que “gostava de não ter vivido”.

“Para vossa informação reagi, sim!! Calma, mas nunca cobarde! Não tenham a presunção que me conhecem só porque sabem pronunciar o meu nome, atenção!!! Ou só porque somos amigos das redes. Isto vale para todos! Respeito aqui afinal é a palavra de ordem”, começa por escrever, garantindo que falou com os intervenientes depois de o programa terminar.

“Falei com os sujeitos em questão longe das câmaras, com o respeito que não me demonstraram, mas não ouvi nenhum pedido de desculpas do outro lado”, revela.

Sara Tavares, que diz ter-se sentido sozinha durante a emissão, mostra-se ainda desagrada com o facto de muitas pessoas terem comentado o caso nas redes sociais acusando-a de ter “falta de sentido de humor”.

“Quem quer um pedido de desculpas público põe a mão no ar”, escreve a artista, dirigindo-se de forma clara a Margarida Rebelo Pinto.

 

“Racismo é crime”, foram estas as palavras, em forma de hashtag, com as quais Sara Tavares quis terminar o seu desabafo. Palavras essas que deixam clara qual a opinião da cantora de ascendência cabo-verdiana sobre o momento que viveu no programa de Herman José. 

Por: Noticias ao Minuto