Ser black está na moda

886

Queridos “brancos”, escrevo hoje, para vos agradecer por tudo que tem feito por nós, que nos fez abrir os olhos e ver o quanto o nosso povo é bonito.

Obrigada por terem começado essa apropriação da nossa cultura, pois só assim nós conseguiremos ser como somos sem sermos ridicularizados, como se mandássemos na natureza e tivéssemos escolhidos ter nascido assim.

Mas, quero deixar claro que mesmo que tivéssemos essa chance, teríamos escolhido nascer assim, NEGROS.

Ainda estamos longe de conseguir acabar com o racismo, mas com essa vossa apropriação já demos um pequeno passo, bem pequeno, quase minúsculo, mas já é um começo.

Por exemplo, agora o padrão de beleza colocado por vocês começou a mudar, e o que antes era gozado, feio, estranho agora é admirado e lindo.
Isso porque vocês, agora querem ser aquilo que antes tanto gozavam:
TODOS QUEREM SER BLACK.

Faz-me lembrar aquela velha frase “quem desdenha quer comprar”. E é verdade, pelo menos nesse caso confirma-se.
Porque hoje em dia, vejo brancas colocando bases na cara que até em mim ficariam escuras de mais, vejo mulheres “colocando rabo”, silicone, injeções no rabo, injeções nos lábios, para ficarem grandes.

Tudo que era feio e gozado agora é bonito, porquê? Porque vocês começaram a usar.

Também já vi que existe um processo para encrespar o cabelo liso, o que seria só mais um procedimento estético, não fosse o facto de tantas negras passarem anos e anos usando produtos químicos no cabelo, alguns prejudicais a saúde, só para entrar dentro do vosso padrão de beleza.

Vi a cantora, e atriz, Zendaya, que usou uns falsos dreads em uma cerimónia, ser acusada de ter fumado weed, mas antes a kylie jenner tinha também usado dreads e foi dito que estava linda e fashion, assim como o turbante, que se for usado por nós, somos macumbeiras, mas se for uma branca a usar é fashion está na moda….

É incrível como tudo em vocês fica bonito, não é?

A vossa influência foi tanta, que acabamos por ficar com dúvidas sobre a nossa beleza, e até acabou por criar uma certa rivalidade entre black e black, para ver quem era e é mais parecido com vocês e com o vosso padrão.

Pelo menos foi o que eu vi, por isso falo por mim, falo pelo que eu vi e vivi.

Tenho a sensação, que as Cabo-verdianas se acham superiores as Angolanas, por exemplo, por terem um “melhor cabelo” feições mais finas. Eu até já vi Cabo-verdianas dizerem às Angolanas para tirarem as perucas, para ver aonde ia a beleza… (sem comentários)

Eu sou Angolana e Cabo-verdiana, nasci em Angola, cresci em Cabo Verde e quando era pequena eu senti isso. Senti, que as Cabo-verdianas se achavam mais bonitas que eu, “um tem cabelo fino bo tem cabelo krrutxe”, “bo nariz e grande que meu é fino”, ouvi dizer, fora outras coisas que eu ouvi e sempre ouvi calada, que me deixaram e deixam triste, mas nunca me fizerem desejar ser branca, ou parecer mais crioula, mas me fizeram ter muitas dúvidas sobre a minha beleza, e tenho certeza que não sou a única que cresceu assim.

Se me permitem, queria aproveitar este artigo de opinião que é para vocês, ”brancos”, para escrever uma pequena parte destinada às mulheres negras: só queria lhes dizer que elas são lindas assim como Deus as fez e que se quiserem mudar alguma coisa, que mudem por elas, não para caber em nenhum padrão de beleza.

Não queiram ser igual a ninguém, porque é a singularidade que nos torna bonitas, lindas, e perfeitas, apesar de todos os nossos defeitos. E aproveitar para dedicar-lhes essa musica:

[vsw id=”h-7EM872Bd4&spfreload=10″ source=”youtube” width=”425″ height=”344″]

Bom, para terminar, e para o meu artigo de opinião não ser muito extensivo, queria fazer um pedido: já que vocês querem todos ser black, que tal começarem a se importar com a nossa vida, ou pelo menos fingirem, afinal agora vamos ser “todos iguais”.

Talvez essa apropriação de cultura não seja vista com maus olhos por nós, se vocês começassem a se importar com as vidas também. Nada contra se vocês agora mudaram o vosso padrão de beleza para ficarem “iguais a nós”, mas só acho que é muita hipócrisia, quererem ser iguais a nós, mas não se importarem com os nosso problemas na sociedade, problemas esses criados por vocês.

Pela vossa necessidade de nos rebaixarem para poderem sobressair, como se nós quiséssemos ocupar o vosso lugar, quando tudo que queremos é conquistar o nosso lugar de humanos que vocês se apropriaram por todos esses anos. Já abriram os olhos e renderam-se a nossa beleza, está na hora de abrir o coração também e verem que somos todos humanos e que #blacklifesmatter.

 

Lizandra Meio-Dia