Taxa de incidência acumulada em Cabo Verde reduz em mais de 50% nos últimos 14 dias

112

A taxa de incidência acumulada da covid-19, em Cabo Verde, caiu de 1990 para 891 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, representando uma redução de mais de 50% face ao período anterior.

Segundo dados apresentados hoje em conferência de imprensa pelo director nacional de Saúde, Jorge Noel Barreto esse dado referente ao período de 10 a 23 de Janeiro, representa sinal de alguma melhoria, embora a taxa se encontra ainda “muito acima” dos 150 por 100 mil habitantes que é o recomendado.

“Quer isso dizer que é preciso continuar reforçando mais uma vez, a ter em atenção as medidas de prevenção para continuarmos a verificar uma melhoria em termo da situação epidemiológica da covid-19 em Cabo Verde”, disse.

Com excepção do município de Ribeira Grande de Santiago, cuja taxa de incidência acumulada é de 93 por 100 mil habitantes, todos os outros concelhos do país apresentam uma taxa acima dos 150 mil habitantes.

O director nacional assinala também uma redução na taxa de positividade que caiu dos 32,5% verificada de 27 de Dezembro a 09 de Janeiro para 25,5% de 10 a 23 de Janeiro, mas ainda assim muito superior ao recomendado que é 4%.

Conforme Jorge Noel Barreto nas últimas duas semanas foram analisadas um total de 19.973 amostras, representando uma média de 1.409 amostras por dia, que resultaram num total de 5.016 casos novos, uma média de 358 casos por dia e uma taxa de positividade de 25,4%.

A taxa transmissibilidade (RT) está em 0,43, o que, na perspectiva do director nacional de Saúde, aponta para uma melhoria da situação em termos de número de casos novos a serem identificados.

“Parece-nos também que a transmissão da Ómicron e outras variantes que estejam a circular em Cabo Verde está a diminuir. Isso pode ser um bom sinal, embora ainda a situação requeira muita atenção e muita precaução por parte das pessoas.

Entretanto, Cabo Verde registou durante este mês de Janeiroum total de 40 casos de óbitos por covid-19, dos quais 15 na última semana.

Aquele responsável explicou que são maioritariamente pessoas idosas, com mais de 60 anos, que tinham outros problemas de saúde e que viram a sua situação complicar-se com o vírus. 

O director nacional de Saúde aproveitou para uma vez mais pedir às pessoas que tenham mais atenção à sua saúde, e sobretudo aqueles que têm doenças crónicas que cuidem melhor.

“Fazer um esforço no sentido controlarem melhor as suas doenças crônicas, mas também aquelas que ainda não estão vacinadas, de fazerem um esforço de procurar o mais rapidamente algum posto de vacinação para que sejam vacinadas e assim ficarem melhor protegidas.

Com a actualização de hoje o País passa a contabilizar 1.053 casos activos, 53.915 casos recuperados, 391 óbitos, 33 óbitos por outras causas e 09 transferidos, perfazendo um total de 55.401 casos positivos acumulados.

Depois de atingir o pico de mais de 1.500 casos no início de Janeiro, Cabo Verde está neste momento num momento de “relativa acalmia” em termos de números de casos, mas vem registando óbitos todos os dias.

A covid-19 provocou pelo menos 5,58 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, citado pela agência Lusa.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante e muito contagiosa” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detectada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em Novembro, tornou-se dominante em vários países.

Por: Inforpress