Taxa de transmissão em Cabo Verde nos últimos 14 dias foi de 1,4%

107

A taxa de transmissão do novo coronavírus nos últimos 14 dias em Cabo Verde foi de 1,4%, avançou hoje o Ministério da Saúde, revelando um ligeiro aumento de novos casos e da taxa de incidência acumulada nesse período. 

Na habitual conferência de imprensa de ponto da situação da pandemia da covid-19 no país, o diretor do Serviço de Vigilância Integrada e Resposta às Epidemias do Ministério da Saúde, Domingos Teixeira, avançou que nas últimas duas semanas as autoridades de saúde cabo-verdianas identificaram 123 casos novos, mais 58 do que o período anterior.

No período em análise, a mesma fonte revelou que a taxa de transmissão (RT) a nível nacional foi de 1,4% e a taxa de incidência acumulada foi de 22 casos por 100 mil habitantes, ligeiramente superior às duas semanas anteriores, que foi de 12 casos por 100 mil habitantes.

Nos últimos 14 dias, o país registou a morte de duas pessoas, dois idosos que não estavam vacinados, e o porta-voz do Ministério da Saúde disse que a taxa de letalidade global é de 0,91% e neste momento há um único doente internado, no Hospital Baptista de Sousa, em São Vicente, mas em situação estável.

Nas últimas 24 horas, o país registou mais três novos casos, sendo um em Tarrafal de São Nicolau e dois no Maio, e oito pessoas foram dadas como recuperadas da infeção.

Com os novos dados, Cabo Verde subiu para um total acumulado de 38.453 casos, dos quais 37.980 foram dados como recuperados, 351 resultaram em óbito e há 97 casos ativos.

Relativamente à vacinação, Domingos Teixeira avançou que o país já atingiu uma taxa de 83,3% da sua população maior de 18 anos com uma dose de vacina, enquanto 68,7% de pessoas já receberam as duas doses.

Até domingo, o país já tinha administrado um total de 562.613 doses de vacinas contra covid-19 e em 22 novembro iniciou a aplicação da dose de reforço nos idosos, doentes crónicos, profissionais de saúde, bombeiros e pessoal da proteção civil.

A covid-19 provocou pelo menos 5.253.726 mortes em todo o mundo, entre mais de 265,13 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em cerca de 30 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Por: Lusa