TICV considera que adiamento na retoma dos voos inter-ilhas vai trazer constrangimentos para companhia

253

Governo de Cabo Verde adia retoma dos voos domésticos devido ao aumento de casos

O administrador da Transportes Inter-ilhas de Cabo Verde (TICV), Luís Quinta, considera que o adiamento na retoma dos voos inter-ilhas para 15 de Julho, anunciado hoje pelo Governo, vai trazer constrangimentos para a companhia.

Em declarações à RCV aquele responsável disse que a empresa já estava preparada para cumprimento do programa com as ligações Praia/São Filipe/Praia esta terça-feira, 30, e outros voos calendarizados para quarta-feira e dias seguintes.

“Vai complicar um bocadinho a organização, porque as equipas já estavam a ser formadas e chamadas para voltar à actividade, mas vão ter que esperar mais duas semanas”, disse adiantando, entretanto, que durante os três voos de suspensão das ligações aéreas inter-ilhas, a companhia não esteve parada, tendo realizado um total de  74 voos.

Por isso mesmo adianta que não houve grandes esforços de preparação para essa retoma nas ligações, que para a empresa era mais um acelerar das actividades.

“Fizemos muito esforço. Tudo que era procedimento já estava implementado. A única coisa que não aconteceu e que devia acontecer amanhã era a coordenação com o resto do sector desde de ASA, CVHadling, Aviação Civil. Tudo resto da nossa parte interna já estava em campo Nossa parte já estava tudo pronto como não ficamos parados, não houve um esforço gigantesco para retomadas ligações”, explicou.

Contudo, admitiu que haverá implicações financeiras, uma vez que já havia uma retoma “clara” na compra dos bilhetes por parte dos clientes.

A retoma das ligações aéreas entre as ilhas, inicialmente prevista para 30 de Junho, foi adiada para 15 de Julho, devido à situação epidemiológica do país, neste momento, decorrente da pandemia de covid-19.

Em conferência de imprensa no final da reunião do Gabinete de Crise, o ministro-adjunto primeiro-ministro e da Integração Regional, Rui Figueiredo, explicou que na tomada desta decisão foi ponderada todas as situações e vista a situação epidemiológica prevalecente nas ilhas de Santiago e Sal, levando sempre em conta o interesse maior é salvaguarda da saúde dos cabo-verdianos

“Tendo presente que é imprescindível que mais ou cedo ou mais tarde se restabeleça as ligações aéreas e marítimas entre todo o território nacional, o gabinete de crise do Governo deliberou relativamente as ligações aéreas em todo país, adiar o início da sua realização para o dia 15 de Julho. Inicialmente esta retoma estava prevista para 30 dias, mas o Governo considerou que será oportuno e recomendável e deliberou nesse sentido” indicou.

Relativamente às ligações marítimas a partir das ilhas de Santiago e Sal que estavam condicionadas, igualmente ficou decidido as suas retomas a partir do dia 15 de Julho.

Por: Inforpress