Tribunal salense aplica prisão preventiva a indivíduos acusados de vários crimes

53

O Tribunal da Comarca do Sal decretou prisão preventiva para dois homens suspeitos da prática de roubo, detenção de precursores de substâncias estupefacientes, tráfico de drogas, na sua forma tentada e um crime de armas.

Em comunicado, a Polícia Judiciária informou que deteve os indivíduos na sexta-feira, 15, fora de flagrante delito, na localidade de Preguiça – Espargos. Os mesmos, de 43 e 45 anos, são suspeitos da prática, em coautoria, de um crime de roubo, um crime de detenção de precursores de substâncias estupefacientes, um crime de tráfico de drogas, na sua forma tentada, e um crime de armas.

No decurso das buscas domiciliárias, foi apreendida, segundo a mesma fonte, parte dos objectos roubados, num dos estabelecimentos comerciais da cidade de Espargos, sementes para plantação de cannabis, 460 gramas de bicarbonato de sódio e 30 gramas de fenacetina, produtos utilizados na confecção de derivados de cocaína, como o “crack”.

Ainda na sequência, informou a mesma fonte que foi detido um terceiro indivíduo, de 38 anos, encontrado na posse de parte dos objectos roubados, que também foram apreendidos.

Os detidos foram presentes, no sábado, 16, às autoridades judiciárias competentes, para efeito do primeiro interrogatório judicial de arguidos detidos e aplicação de medidas de coação pessoal, tendo sido aplicado prisão preventiva aos suspeitos de coautoria no crime de roubo e TIR e Apresentação Periódica, ao terceiro indivíduo.

Ainda no mesmo dia, informou igualmente a Polícia Judiciária, foi detido pelo DICS um outro indivíduo do sexo masculino, de 41 anos, na localidade de Chã de Matias, suspeito da prática de quatro crimes de VBG, na sua forma agravada.

O indivíduo em causa é acusado de agressões verbal e físicas, cometidas, de forma reiterada, contra a sua ex-companheira, entre Julho de 2016 e Novembro de 2018.

O detido foi presente, no sábado, 16, ao Tribunal da Comarca do Sal, que lhe aplicou, como medidas de coação, Termo de Identidade e Residência, Apresentação Periódica, Proibição de contacto com a vítima e Proibição de Saída do país, como medidas de coação pessoal.

Por: Inforpress