Trump ordenou ataque aéreo com drone para matar general iraniano no aeroporto de Bagdad

O comandante da força de elite iraniana, general Qassem Soleimani, morreu num ataque aéreo com drone ordenado por Trump, que tweetou uma bandeira americana. Irão respondeu: "A vingança será dura".

1353

O Presidente dos Estados Unidos ordenou um ataque aéreo com drone para abater o comandante da força de elite iraniana Al-Quds, o general Qassem Soleimani, na madrugada desta sexta-feira, no aeroporto internacional de Bagdad, confirmaram o Pentágono e a Casa Branca.

O líder supremo do Irão, Ali Khamenei, ordenou três dias de luto e avisou: “A vingança será severa”. O mesmo tom foi usado por Hassan Rouhani, Presidente do Irão ao prometer vingança e pelo antigo líder da Guarda Revolucionária do Irão: “A nossa vingança contra a América será terrível”. O chefe de diplomacia iraniano, o primeiro a reagir, considerou a operação um ato de terrorismo internacional e uma “escalada extremamente perigosa” da tensão entre os dois países.

“Obedecendo a instruções do Presidente, as forças militares dos EUA tomaram medidas defensivas decisivas para proteger pessoal norte-americano no estrangeiro, ao matar Qassem Soleimani, o líder do Corpo da Guarda Revolucionária do Irão, considerado pelos EUA como uma organização terrorista estrangeira”, lê-se numa declaração do secretário de Estado da Defesa, Mark Esper.

“O General Soleimani estava ativamente a desenvolver planos para atacar diplomatas americanos no Iraque e na região. O General Soleimani e a sua Al-Quds foram responsáveis pela morte de centenas de americanos e elementos da coligação e pelo ferimento de outros milhares. Orquestrou ataques a bases da coligação no Iraque nos últimos 7 meses, incluindo o ataque de 27 de Dezembro, que culminou com a morte e ferimentos de mais pessoal americano e iraquiano. Também aprovou os ataques desta semana à embaixada americana em Bagadad. O ataque teve como objetivo travar novos planos de ataque iranianos.

Por: Observador