União Desportiva do Songo vence o Moçambola

245

Inédito: primeiro clube fora da capital do país a conquistar o bis, Campeonato e Taça, e também o primeiro clube, depois de no ano transacto se ter sagrado campeão, que nem sequer é de uma capital provincial ou sede distrital, que festeja um acontecimento histórico como este que está a ser vivido pela União Desportiva (UD) do Songo.

Este domingo, em Quelimane, confirmou todos os prognósticos e conjecturas – a revalidação do título de campeão moçambicano de futebol da 1.ª Divisão (Moçambola).

Na visita a um 1.º de Maio de Quelimane que luta pela sobrevivência e, sobretudo, pela representação de uma Zambézia que corre seriíssimos riscos de desaparecer do mapa do Moçambola, a UD Songo viu o adversário a entrar de forma espectacular, tendo, inclusive, se adiantado no marcador, dando a sensação de saltar para o conforto rumo à sua pretensão.

Porque, nessa altura, o Ferroviário de Maputo, que disputava tenazmente o título com o Songo também perdia no Chiveve, ante o seu homónimo da Beira, a derrota não beliscava a turma de Nacir Armando, pois continuaria a manter a sua vantagem de três pontos na tabela classificativa, ao cabo da 29.ª e penúltima jornada da prova.

Porém, no final da interessante e imprevisível jornada, a União Desportiva do Songo conseguia empatar (1-1) em Quelimane, com golo de Mário Sinamunda, e o Ferroviário de Maputo, sob a batuta de Carlos Manuel (Caló), que substituiu o demitido Nélson Santos, era categoricamente derrotado (3-0) pelo Ferroviário do português Rogério Gonçalves, desmoronando-se por completo o castelo que os locomotivas da capital tinham construído para esta temporada.

Assim, resolvida a questão do título, mantém-se ainda acesa a luta pela permanência no Moçambola.

Disputada esta jornada, se Desportivo de Nacala, Incomáti de Xinavane e ENH de Vilankulo, com 35 pontos, respiraram de alívio, Ferroviário de Nacala, Universidade Pedagógica de Manica e 1.º de Maio de Quelimane continuam na berlinda e com a corda mais apertada ao pescoço.

Na Bela Vista, o Ferroviário de Nacala ganhou ao Ferroviário de Nampula por 2-1; UP Manica empatou 1-1 com Maxaquene, em pleno Estádio Nacional do Zimpeto; e 1º de Maio foi o tal que permitiu a festa antecipada da campeã UD Songo.

Já os que se safaram, fizeram-no com empates: 1-1 no Sporting de Nampula-Desportivo de Quelimane e no Incomáti-Clube do Chibuto, e 0-0 no ENH-Costa do Sol, do português Horácio Gonçalves.

Resultados da 29.ª jornada:

1º de Maio de Quelimane-UD Songo                              1-1

Ferroviário da Beira-Ferroviário de Maputo                    3-0

Textáfrica do Chimoio-Liga Desportiva de Maputo         1-1

Ferroviário de Nacala-Ferroviário de Nampula               2-1

Maxaquene-UP Manica                                                   1-1

Incomáti de Xinavane-Clube do Chibuto                         1-1

ENH de Vilankulo-Costa do Sol                                       0-0

Sporting de Nampula-Desportivo de Nacala                   1-1   

Classificação: 
UD Songo, 58 pontos,
Ferroviário de Maputo, 54,
Liga Desportiva de Maputo, 49,
Ferroviário de Nampula, 44,
Clube do Chibuto, 42,
Maxaquene, 41,
Textáfrica, 40,
Ferroviário da Beira, 39,
Costa do Sol, 39,
Desportivo de Nacala, 35,
Incomáti, 35,
ENH de Vilankulo, 35,
Ferroviário de Nacala, 34,
UP Manica, 31,
1.º de Maio de Quelimane, 31
Sporting de Nampula, 19.

Por: A Bola