X edição dos CVMA premia apenas trabalhos lançados e divulgados em 2020

171

A X edição dos Cabo Verde Music Award (CVMA) vai apenas premiar os trabalhos divulgados em 2020, excluindo assim os de 2019, que devido à pandemia da covid-19, não tiveram oportunidade de serem galardoados no ano passado.

A informação foi avançada ontem à imprensa, na Cidade da Praia, pela presidente dos CVMA, Dilza Soulé, durante a apresentação do novo regulamento dos CVMA e do corpo de júri, que irão seleccionar os trabalhos em concurso.

Para a X edição dos CVMA, sob o lema “Uma década a premiar a nossa música”, informou, estarão em concurso todos os trabalhos lançados e divulgados de 01 de Janeiro de 2020 até 31 de Dezembro de 2020.

 “2020 foi um ano atípico para todos. Não foi possível realizar a gala, mas a música não parou, muitas músicas foram feitas (…) e lançadas. Agora, estamos em 2021 e graças a Deus parece que vamos conseguir realizar a gala, mas não conseguimos levar dois anos a concurso e, infelizmente, 2019 fica sem premiação”, justificou.

A organização ainda não definiu a data para a realização da gala de premiação, mas por agora descartam o habitual mês de Maio.

Em relação ao regulamento, explicou que um dos aspectos que mudou é que a partir de agora o público passa a escolher os três jurados que vão integrar os restantes oito já seleccionados pela organização.

A lista dos candidatos  a jurados  já está divulgada no site e a votação acontece de 01 a 25 de Abril, através o site www.cvma.cv, informou.

Ainda, segundo a organização, todas as habituais categorias manter-se-ão, mas na categoria de melhor música tradicional, será excluído os gêneros morna, funaná e coladeira. 

Dilza Soulé justificou essa mudança pelo facto de esses três ritmos já terem uma categoria específica, por isso não faz sentido integra-los na categoria tradicional.

“Na categoria de melhor música tradicional vão entrar as outras músicas que é nosso e que não temos uma categoria específica para elas como batuco, Cola Son Djon, mazuka “, precisou.

Falando do orçamento, Dilza Soulé reafirmou que para a realização de uma gala como desejado o orçamento ronda os 12 a 14 milhões de escudos, mas ainda não atingiram este objectivo.

“A nossa rúbrica de maior peso são as viagens internacionais (…) e praticamente a maioria dos nossos artistas estão fora e trazê-los para  a gala , isso tem um custo elevadíssimo. Para este ano, ainda não temos salvaguardada todas as condições para realizar, mas vamos fazer a gala de acordo com o financiamento que tivermos” especificou.

O presidente do júri desta X edição é Osvaldo Moura, conhecido por Dj Vavá. 

O projecto Cabo Verde Music Awards (CVMA) foi criado e promovido pelo músico cabo-verdiano Gylito Semedo.

De agora em diante as galas serão realizadas pela empresa Dilza Soule Events, em parceria com vários co-promotores. 

Por: Inforpress